Ensino de sociologia em questão
PDF

Palavras-chave

Ensino de Sociologia
Estranhamento
Desnaturalização
Conflitos Étnico-Raciais

Como Citar

DANTAS, D. N. M.; DIAS, W. M. Ensino de sociologia em questão: a história da sociologia na educação básica e a questão de debates étnico-raciais. Revista Aurora, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 73–88, 2019. DOI: 10.36311/1982-8004.2019.v12esp.09.p73. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/9769. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

O presente artigo propõe-se a expor reflexões obtidas como resultado de pesquisa bibliográfica buscando pensar sobre a relevância do Ensino de Sociologia como instrumento de educação e redução da discriminação e violências de cunho étnico-racial na escola. Partindo de uma sucinta recuperação da história do Ensino de Sociologia na Educação Básica, propõe-se uma reflexão sobre sua instabilidade no currículo e seu pouco tempo de existência obrigatória – a partir de 2008 –, buscando, assim, fomentar a produção de instrumentos e metodologias de ensino que contribuam para a formação do professor e o fortalecimento da Sociologia como disciplina escolar. Por meio de uma análise das concepções sobre o Ensino de Sociologia evocadas nas Orientações Curriculares Nacionais (2006) que apontam para o trabalho com os conceitos de Estranhamento e Desnaturalização como princípio metodológico, busca-se pensar a questão étnico-racial como de essencial importância, propondo o fortalecimento da Sociologia como recurso educativo para combater o Racismo.

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2019.v12esp.09.p73
PDF

Referências

BRASIL. Câmara dos Deputados (2008) - Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2008/lei-11684-2-junho-2008-575857-publicacaooriginal-99168-pl.html> Acesso em: 20/07/2018 às 13:30.

Secretaria de Educação Básica. Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio – Ciências Humanas e suas tecnologias. Brasília, 2006.

Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Africana e Afro Brasileira. Brasília: MEC, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006.

Resolução Nº 1, de 17 de junho de 2004. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/ arquivos/pdf/res012004.pdf. > Acesso em 20 de jan de 2019.

Relatório do Comitê Nacional para a Preparação da Participação Brasileira na III Conferência Mundial das Nações Unidas Contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata. Brasília, 2001. Disponível em http:/www.dhnet.org.br/direitos/sos/discrim/relatorio.htm. Acesso em 20 jan. 2019

COSTA, S. Paradoxos do Pensamento Anti-Racista Brasileiro no começo do século XX. In: Teoria e pesquisa. Jan/Jun 2003. São Carlos, UFSCAR. Disponível em:<http://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/viewFile/58/48.>Acesso em: 10 ago. 2017

DAYRELL, J. B. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização Juvenil. Educ. Soc.,Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 1105-1128, out. 2007.

DIAS, Lucimar Rosa. Quantos passos já foram dados? A questão de raça nas leis educacionais – da LDB de 1961 à Lei 10.639 de 2003. In: ROMÃO, J. (Org.). História da educação dos negros e outrashistórias. Brasília/DF: Ministério da Educação, 2005.

FLORÊNCIO, M. A. de L. A Sociologia no Ensino Médio: O percurso histórico nos Brasil e em Alagoas. Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS), 2009.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Revista Aurora

Downloads

Não há dados estatísticos.