Nos passos do Bon-Odori

Representações sócio-históricas japonesas, cultura nikkey e sociedade nipo-brasileira

Autores

  • Vitor Arraes Gomes Faculdade de Filosofia e Ciências - FFC - Campus de Marília

DOI:

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2020.v13n1.p77-98

Palavras-chave:

Bon-Odori, Ritual, Cultura, Dança circular

Resumo

O objetivo do artigo é investigar a pluralidade cultural do Bon-Odori da cidade de Marília/SP. Preliminarmente, sabe-se que o fenômeno em questão é um ritual de origem japonesa que celebra os espíritos dos mortos através da dança circular sagrada. No interior paulista, tal ritual ocorre através de eventos anuais organizados pelas comunidades nipo-brasileiras. Assim, a descrição desta prática ritualística se mostrou indispensável para captar a dinamicidade do seu sistema de funcionamento, e compreender as representações socioculturais que a compõem. Ainda que de matriz estrangeira, o Bon-Odori, praticado no interior de São Paulo, assumiria outro caráter devido à cultura nikkey: um sistema simbólico que integra as culturas japonesa e brasileira. De ponto de vista metodológico, a pesquisa utilizou a observação participante, além disso, fotografias e filmagens dos eventos foram instrumentos indispensáveis para a compreensão das danças. Em termos antropológicos, concluiu-se que, no Brasil, o Bon-odori não é mais um fenômeno estritamente japonês, mas sim um ritual nipo-brasileiro de dança circular sagrada porque, em sua composição social, mesclam-se as diferenças étnico-culturais.

Submetido em: 05/06/2020
Aprovado em: 08/07/2020

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Arraes Gomes, Faculdade de Filosofia e Ciências - FFC - Campus de Marília

Discente do curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), na linha Cultura, Identidade e Memória da Unesp/FFC/Faculdade de Filosofia e Ciências, Campus de Marília.

Downloads

Publicado

2021-03-22

Edição

Seção

Miscelânea