ENTRE SONS E RUÍDOS: CONSIDERAÇÕES SOBRE GÊNERO NAS TRADIÇÕES RURAIS E NA MÚSICA CAIPIRA

Autores

  • Lays Matias Mazoti CORRÊA

DOI:

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2016.v9n1.03.p16

Palavras-chave:

Gênero, Sociologia do ruído, Cultura caipira, Música caipira,

Resumo

O objetivo desse trabalho busca analisar as diferentes formas enunciadas pela autoridade patriarcal na cultura e música caipira em seus aspectos mais estruturais e tradicionais, assim como investigar suas permanências, descontinuidades e conflitos narrados pela dupla Alvarenga e Ranchinho em um contexto histórico marcado por profundas transformações (os anos de 1930 e 1940). Através da proposta de uma sociologia do ruído, problematizarei as questões de gênero a partir das metáforas dos sons - privilégio do poder mandante cujo princípio é ordenar a sociedade neutralizando seus conflitos - e dos ruídos, os barulhos dissonantes que ameaçam à ordem social vigente e, por isso, são constantemente expurgados das práticas culturais. Dessa forma, pretendo desvelar a utópica harmonia social das relações de gênero, traçando, brevemente, alguns dos ruídos que ressoam sobre os paradigmas históricos e culturais existentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lays Matias Mazoti CORRÊA

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Downloads

Publicado

2016-11-25

Como Citar

CORRÊA, L. M. M. ENTRE SONS E RUÍDOS: CONSIDERAÇÕES SOBRE GÊNERO NAS TRADIÇÕES RURAIS E NA MÚSICA CAIPIRA. Revista Aurora, [S. l.], v. 9, n. 01, 2016. DOI: 10.36311/1982-8004.2016.v9n1.03.p16. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/6472. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê