Breves considerações sobre o fim da escravidão e o direito do negro à moradia
PDF

Palavras-chave

Abolição
Exploração imobiliária urbana
Moradia
Discriminação racial

Como Citar

Breves considerações sobre o fim da escravidão e o direito do negro à moradia. Revista Aurora, [S. l.], v. 14, n. 3, p. 135–146, 2021. DOI: 10.36311/1982-8004.2021.v14esp.p135-146. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/12699.. Acesso em: 17 jul. 2024.

Resumo

Pretende este artigo analisar a questão dos negros libertos, oriundos dos latifúndios rurais que migraram para regiões urbanas, no período compreendido entre o final da monarquia com a promulgação da lei que abolição da e os primeiros anos da república, trazendo à discussão as precárias condições sub-humanas em que se alocaram, quais sejam cortiços e mocambos, as únicas habitações que lhes restaram. Adentra, também, na questão da exploração imobiliária urbana, muitas vezes travestidas de um apelo sanitário, que tiveram o condão único de retirar a população pobre, em sua maioria negros oriundos de latifúndios rurais. Por fim, traz à discussão a discriminação racial, perpetrada, inclusive pelo poder público, por meio da polícia.

PDF

Referências

ARAGÃO, José Maria. Sistema Financeiro da Habitação: uma análise sócio-jurídica da gênese, desenvolvimento e crise do sistema. 2. ed. Curitiba: Juruá, 2001.

AZEVEDO, Elciene; CANO, Jefferson; PEREIRA CUNHA, Maria Clementina; CHALHOUB, Sidney (orgs.). Trabalhadores na cidade. Campinas: Editora Unicamp, 2009.

BAHIA, Ryanne Freire Monteiro. O Pobre na Literatura: Análise Sociológica da Obra O Cortiço. Fortaleza, 2012. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/ 6401/1/2012-DIS-RFMBAHIA.pdf, acessado em 30 de out 2020.

CHALHOUB, Sidney. Costumes Senhoriais. Escravização ilegal e precarização da liberdade no Brasil Império.in: AZEVEDO, Elciene [et al]. Trabalhadores na cidade: cotidiano e cultura no Rio de Janeiro e em São Paulo, séculos XIX e XX. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2009

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da belle époque. 3. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2012.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Editora Globo, 2008.

FERNANDES, Florestan. Significado do protesto negro. Coleção polêmicas do nosso tempo, v. 33. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1989.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. 27. ed. São Paulo: Nacional, 1998

PRADO JR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. 6. ed. São Paulo: Brasiliense, 1961.

SAES, Décio. A Formação do Estado Burguês no Brasil (1888-1891). 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. A prisão dos ébrios, capoeiras e vagabundos no início da Era Republicana, 2004. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/topoi/v5n8/2237-101X-topoi-5-08-00138.pdf, acessado em 29 de out 2020.

SANTOS, Ronaldo Marcos dos Santos. Resistência e Superação do Escravismo na Província de São Paulo (1885 - 1888). Série Ensaios Econômicos. São Paulo: IPE, 1980.

VASCONCELOS, Marcos Estevam; OLIVEIRA, Mateus Fernandes de. O combate à ociosidade e à marginalização dos libertos no pós-emancipação. Disponível em: https://www.cesjf.br/revistas/cesrevista/ edicoes/2011/08_HISTORIA_OCombate.pdf, acessado em 28 de out 2020.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Revista Aurora

##plugins.themes.healthSciences.displayStats.downloads##

##plugins.themes.healthSciences.displayStats.noStats##