O ESTADO E AS REFORMAS PÓS DÉCADA DE 90: MOVIMENTOS SOCIAIS, TERCEIRO SETOR E EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL

Autores

  • FRANCIELI ARAÚJO
  • RENATA PERES BARBOSA

DOI:

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2009.v3n1.1216

Palavras-chave:

Interesse Terceiro Setor. Educação Não-Formal. Neoliberalismo.

Resumo

O presente texto tem como objetivo discutir em que medida as reformas sociais, políticas e econômicas, desencadeadas pós-década de 90 no Brasil, impulsionaram o surgimento de projetos no âmbito da educação não-formal. Com o enxugamento das funções do Estado, há o desvio para o terceiro setor, com ênfase nas ONGs, que não realizam uma análise da raíz dos problemas sociais. Dentro desta lógica, se desperta o princípio do esfacelamento dos movimentos sociais combativos e novos grupos sociais entram em cena, representados pelo terceiro setor, no qual suas ações são de caráter assistencialista. À luz deste contexto, se insere a educação não-formal, que visa atender as necessidades não garantidas pelo Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-20

Como Citar

ARAÚJO, F.; BARBOSA, R. P. O ESTADO E AS REFORMAS PÓS DÉCADA DE 90: MOVIMENTOS SOCIAIS, TERCEIRO SETOR E EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL. Revista Aurora, [S. l.], v. 3, n. 1, 2009. DOI: 10.36311/1982-8004.2009.v3n1.1216. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/1216. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

Miscelânea