O símbolo esvaziado: a teoria do romance do jovem György Lukács

Autores

  • Arlenice Almeida da Silva

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732006000100006

Palavras-chave:

Lukács, romance, modernidade,

Resumo

O presente artigo investiga como A teoria do romance (1916) de G.Lukács, um texto fragmentado e de ocasião, tornou-se um clássico da reflexão sobre a modernidade. Para Lukács, o romance é a forma artística que corresponde à fratura entre o sujeito e o mundo, vivida pelo homem contemporâneo. Utilizando o conceito de “símbolo esvaziado” este texto apreende em que medida o autor ao rever as classificações anteriores sobre o gênero romance, perpetua a tradição romântica ou rompe com ela, elaborando conceitos originais para a compreensão da modernidade na literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-01-01

Como Citar

Silva, A. A. da. (2006). O símbolo esvaziado: a teoria do romance do jovem György Lukács. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 29(1), 79–94. https://doi.org/10.1590/S0101-31732006000100006

Edição

Seção

Artigos e Comentários