Gramsci, movimentos sociais e ciberespaço
PDF

Palavras-chave

Internet
Redes Sociais
Ciberespaço
Gramsci
Movimentos Sociais

Como Citar

MAIER, F. Gramsci, movimentos sociais e ciberespaço: pela atenção aos novos ambientes de hegemonia. Revista Aurora, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 165–176, 2019. DOI: 10.36311/1982-8004.2019.v12esp.16.p165. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/9776. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

o ciberespaço compreende um novo ambiente de sociabilidade humana, proporcionado pelos desenvolvimentos das tecnologias de informação e comunicação. As duas primeiras décadas do século XXI apresentam a expansão desse ambiente e, principalmente, da Internet, um de seus maiores componentes; junto com tal expansão presenciamos também sua crescente importância política, econômica e social. Justamente nesse ponto o artigo pretende mobilizar a teoria gramsciana para discutir como o ciberespaço, por ser um espaço da vida social, também está submetido às relações de hegemonia e é, portanto, um ambiente de luta política. Para tal discute-se sobre a dinâmica interna do mundo cyber, a presença de espaços de difusão da concepção de mundo das classes dirigentes, bem como dos espaços alternativos. A conclusão aponta para uma visão da Internet como elemento de grande importância para os movimentos sociais, na geração do sujeito coletivo e da vontade coletiva, aspectos centrais para a difusão de uma concepção do mundo pautada nas classes e grupos subalternos, a proposta do comunista sardo.

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2019.v12esp.16.p165
PDF

Referências

ALVES, G.; MARTINEZ, V. (orgs.) Dialética do ciberespaço. São Paulo: Práxis, 2002.

BRESCIANI, Alex Antonio. Sociedade em rede: faces virtuais da ideologia capitalista do século XXI. 2007. 171 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, 2007.

CASTELLS, Manuel. Sociedade em rede. (A era da informação: economia, sociedade e cultura, v. 1) Trad: Roneide Venâncio Majer. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

CAVALCANTI, M. A. de P. INDÚSTRIA CULTURAL E CIBERCULTURA – APROXIMAÇÕES E DISTANCIAMENTOS DE CONCEITOS E PRÁTICAS NA CONTEMPORANEIDADE. Periferia, v. 4, n. 2, pp. 111-130, 2012.

CHAMPANGNATTE, D. M. DE O.; CAVALCANTI, M. A. DE P. Abordagens conceituais sobre o cenário midiático contemporâneo: das Indústrias Culturais às Redes Digitais. Revista de Estudos de Comunicação, Curitiba, v. 15, n. 38, pp. 338-352, 2014.

CHOUCRI, Nazli. Cyberpolitics. Cambrigde/Londres: The MIT Press, 2012.

COELHO, M. A. Entrevista Pierre Lévy. Roda Viva. São Paulo, TV Cultura, 8 jan. 2001.

EVANGELISTA, R. de A. Traidores do movimento: política, cultura, ideologia e trabalho no software livre. 250f. Tese (Doutorado) – Campinas: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2010.

FERRARI, T. A ESFINGE DO CIBERESPAÇO. Projeto História, n. 34, p. 271–287, 2007.

FERREIRA, P. Brasil é o segundo país onde alunos passam mais tempo na internet na horas vagas. O Globo, 19 de abr. 2017. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/brasil-o- segundo-pais-onde-alunos-passam-mais-tempo-na internet-nas-horas-vagas-21227360>. Acesso em 20 de jan. 2018.

GOÉS, L. T. DE. Contra-hegemonia e Internet: Gramsci e a Mídia Alternativa dos Movimentos Sociais na Web. Anais do IX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste. Anais... In: IX CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO NA REGIÃO NORDESTE. Salvador: 7 jun. 2007. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/congresso/regionais/intercomnordeste.htm>. Acesso em: 23 jan. 2017

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere, volume 3. Trad: Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni del cárcere. Torino: Einaudi, 1975.

IANNI, Octavio. O príncipe eletrônico. Cuestiones Constitucionales, n. 4, janeiro-junho 2001, pp. 3-25.

KIGGINS, Ryan David. US Leadership in Cyberspace: Transnational Cyber Security and Global Governance, 2014. In: KREMER, Jan-Frederik; MÜLLER, Benedikt (Edit.). Cyberspace and International Relations: Theory, Prospects and Challenges. Berlim Heidelberg: Springer, 2014a, pp. 161-180.

KIM, S. CAPITORGS AND FREE/LIBRE AND OPEN SOURCE SOFTWARE (FLOSS): TOWARD CRITICAL TECHNOLOGICAL LITERACY AND FREE/LIBRE AND OPEN SOURCE SOCIETY (FLOSS). Educational Insights, v. 10, n. 2, 2006, pp. 6-16.

KUEHL, D. From cyberspace to cyberpower: Defining the Problem, pp. 24–42, 2009. In KRAMER F., STARR, H., WENTZ, L. Cyberpower and national security, Washington (USA): Potomac Books Inc, 2009.

LIGUORI, Guido. Roteiros para Gramsci. Trad: Luiz Sérgio Henriques. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

LÉVY, Pierre. O que é o virtual? São Paulo: Editora 34, 1996.MANJIKIAN, Mary Mc Evoy. From global village to virtual battlespace: the colonizing of the Internet and the extension of Realpolitik. International Studies Quarterly, n 54, pp. 381-401, 2010.

MAYANS, Joan I Plannels. Ciberespaço – Notas para a utilização de um conceito analítico em Ciências Sociais, 2002. In: ALVES, G. & MARTINEZ, V. (orgs.) Dialética do ciberespaço. São Paulo: Práxis, 2002

MORAES, D. de. COMUNICAÇÃO, HEGEMONIA E CONTRA-HEGEMONIA: A CONTRIBUIÇÃO TEÓRICA DE GRAMSCI. Revista Debates, Porto Alegre, v. 4, n. 1, pp. 54-77, 2010.

NYE JR, Joseph S. Cyber Power. Cambridge: Harvard Kennedy School, 2010.

OGAWA, R.; ARRUDA, R. A. DE. A CULTURA HACKER, O MOVIMENTO SOFTWARE LIVRE, AS REDES SOCIAIS E O TRABALHO ASSOCIADO. Revista Eventos Pedagógicos, v. 3, n. 2, p. 430–442, jul. 2012.

OLIVEIRA FILHO, J. J. DE. Patologia e regras metodológicas. Estudos Avançados, v. 9, n. 23, p. 263–268, 1995.

PAYÃO, Felipe. ‘Perdemos a internet para os capitalistas’, diz cofundador do Pirate Bay. Tecmundo, 03 de ago. 2018.

SILVA, E. DOS S. INTELIGÊNCIA COLETIVA SOB CONTROLE? A HEGEMONIA DO GOOGLE E SEU DOMÍNIO, APROPRIAÇÃO E MEDIAÇÃO DA INFORMAÇÃO NO CIBERESPAÇO. 116f. Dissertação (Mestrado) — João Pessoa: Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), 2014.

SOARES, D. de Q. INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL NO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO: o contraditório caso do Software Livre. 215f. Tese (Doutorado) – São Luis: Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), 2015.

TEIXEIRA, L. M. A repercussão da Mídia Alternativa no Ciberespaço: estudo comparativo das páginas “Outras Palavras” e “O corvo”. 142f. Dissertação (Mestrado) – Lisboa: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Comunicação – Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias da Universidade Nova Lisboa, 2016.

URQUIDI, V. F. D. CIBERESPAÇO E NOVOS MOVIMENTOS SOCIAIS. Anais do XXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Anais... In: XXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Salvador (BA), 1 a 5 set de 2002. Disponível em: <http://www.portcom.intercom. org.br/pdfs/22992900472590081477676090404547319595.pdf> Acesso em: 25 de jan de 2018.

ZÍLIO, C. Educação Pública e Opção pelo Software Livre nas Escolas Estaduais de Porto Alegre: um estudo sobre concepções de professores. 151f. Dissertação (Mestrado) – Porto Alegre: Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS), 2013.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Revista Aurora

Downloads

Não há dados estatísticos.