As transformações no mundo do trabalho e a vivência subjetiva dos trabalhadores
PDF

Palavras-chave

Organização do trabalho
Psicodinâmica do trabalho
Saúde mental.

Como Citar

As transformações no mundo do trabalho e a vivência subjetiva dos trabalhadores. Revista Aurora, [S. l.], v. 5, p. 25–36, 2021. DOI: 10.36311/1982-8004.2012.v5n0.2361. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/2361.. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo realizar um estudo sobre a relação entre trabalho e saúde mental. Trata-se de estudar os casos de trabalhadores atingidos por doenças mentais. Os trabalhadores que estão nas fábricas, nas usinas, nos escritórios, etc. e são submetidos a pressões no seu dia-a-dia geradas pela organização do trabalho. O objeto de estudo passa a ser, não a loucura, mas o sofrimento decorrente do trabalho, “um estado compatível com a normalidade, mas que implica numa série de mecanismos de regulação” (DEJOURS, 1997). Procuramos entender as relações que podem se estabelecer entre a organização do trabalho e o sofrimento psíquico. Para revelar certos sofrimentos que, na verdade, foram negligenciados até hoje pelos estudos sobre o trabalho, procuraremos analisar aquilo que, no afrontamento do trabalhador com sua tarefa, põe em perigo sua vida mental e, sobretudo, a vivência dos trabalhadores em relação à saúde e em relação à doença.
PDF

Referências

ANTUNES, Ricardo. A dialética do trabalho – Escritos de Marx e Engels. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

BASTIDE, Roger. Sociologia das doenças mentais. São Paulo: Comp. Ed. Nacional, 1967. CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis RJ: Vozes, 1998.

COSTA, Liana Fortunato; BRANDAO, Shyrlene Nunes. Abordagem clínica no contexto comunitário: uma perspectiva integradora. Psicol. Soc., Porto Alegre, v. 17, n. 2, Aug. 2005. Disponível em . Acesso em 18 de agosto de 2011.

DEJOURS, Christophe. A banalização da injustiça social. 3.ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2000.

DEJOURS, Christophe. Uma nova visão do sofrimento humano nas organizações. In: CHANLAT, Jean-François (Coord.). O indivíduo na organização: dimensões esquecidas. v.1. São Paulo: Atlas, 1996. p. 149- 174.

DEJOURS, Christophe. et al. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da Escola Dejouriana a análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. Sao Paulo: Atlas, 1994.

DEJOURS, Christophe. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. 5.ed. São Paulo: Cortez/Oboré, 1992.

GOFFMAN, Erving. Estigma - notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Guanabara, 2008.

GRAMSCI, Antonio. Americanismo e Fordismo. In: Cadernos do Cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. p. 239-282.

HARVEY, David. A transformação político-econômica do capitalismo do final do século XX. In: Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 8.ed. São Paulo: Loyola, 1999. p. 115-184.

LEITE, Marcia de Paula, ARAÚJO, Angela Maria Carneiro (orgs.). O Trabalho reconfigurado: Ensaios sobre Brasil e México. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2009.

MARX, Karl. [trabalho estranhado e propriedade privada]. In: Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004. p. 79-90.

MARX, Karl. Processo de trabalho ou o processo de produzir valores-de-uso. In: O Capital: crítica da economia política. 5.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980. l.1, v. 1., p. 201-210.

MERLO, A.R.C. Transformações no mundo do trabalho e a saúde. In: A. JERUSALINKY, A.C. MERLO & A.L. GIONGO et al. (Eds.), O valor simbólico do trabalho e o sujeito contemporâneo. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2000. p. 271 – 278.

WEIL, Simone. A condição operária e outros estudos sobre a opressão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2012 Revista Aurora

##plugins.themes.healthSciences.displayStats.downloads##

##plugins.themes.healthSciences.displayStats.noStats##