BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS E A “PÓS- MODERNIDADE DE CONTESTAÇÃO”: Algumas notações marxistas

Autores

  • Mauricio Bernardino Gonçalves

DOI:

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2011.v4n2.1265

Palavras-chave:

Pós-modernidade, Marxismo, Metodologia, Emancipação

Resumo

É mais ou menos consensual que o último quarto do século XX trouxe mudanças significativas tanto na organização social das sociedades modernas como nas teorias utilizadas para a sua explicação e/ou transformação. É aproximadamente neste período que surge o amplo e multifacetado movimento sócio-cultural da “pós-modernidade”. Boaventura de Sousa Santos é talvez o mais importante teórico e militante [tendo grandiosa influência no Fórum Social Mundial, por exemplo] da corrente intitulada “pós-modernidade de contestação”, termo, aliás, que ele mesmo cunhou. Esta corrente procura investigar as possíveis vias de concretização dos ideais da modernidade criando, todavia, meios pós-modernos para atingi-los. Nesta tentativa, uma série de temas foram tratados, desde a avaliação sócio-histórica da modernidade até as mediações políticas necessárias para a implementação dos ideais almejados, passando ainda pelo conceito de ciência e por toda uma discussão epistemológico-ontológica. O artigo em tela pretende analisar criticamente a tentativa desta corrente, a partir fundamentalmente das elaborações do sociólogo português, tendo o marxismo como parâmetro.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-08-30

Edição

Seção

Dossiê