A repressão ao movimento estudantil na ditadura militar
PDF

Palavras-chave

Ditadura Militar
Movimento Estudantil
Foquismo
Maoísmo

Como Citar

A repressão ao movimento estudantil na ditadura militar. Revista Aurora, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 101–108, 2009. DOI: 10.36311/1982-8004.2009.v3n1.1224. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/1224.. Acesso em: 12 jun. 2024.

Resumo

Durante os anos da ditadura militar os movimentos populares no Brasil sofreram intensa repressão. Dentre estes movimentos se destacou o Movimento Estudantil (ME) que liderou diversas manifestações e protestos. O ME foi alvo de disputas entre alguns partidos e organizações políticas nestes anos e suas ações refletiam a influência destes grupos. O objetivo deste artigo é analisar as ações do ME no período da ditadura militar correspondente a 1964-1979. Faz-se necessário também analisar a situação da esquerda na época, os ideais revolucionários e as formas de luta desenvolvidas pelos partidos e organizações políticas, principalmente as influências destes grupos no ME.
PDF

Referências

BANDEIRA, Moniz. O Governo João Goulart: as lutas sociais no Brasil (1961-1964). 3a ed., Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1978.

CAVALARI, R. M. F.: Os limites do Movimento Estudantil (1964/80). Dissertação de Mestrado. Faculdade de Educação, UNICAMP, Campinas-SP, 1987.

DIRCEU, José; PALMEIRA, Vladimir. Abaixo a ditadura: o movimento de 68 contado por seus líderes. Entrevistas, edição e cartuns: Solange Bastos, Paulo Becker, Ari Roitman e Henfil. 2. ed. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo: Garamond, 1998.

FERREIRA, J; NEVES DELGADO, L. de A. (orgs.). O Brasil Republicano: o tempo da experiência.. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, Vol. 3.

FERREIRA, J. Brasil Republicano: o tempo da ditadura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, Vol. 4.

HABERT, N. A década de 70: apogeu e crise da ditadura militar brasileira. – São Paulo: 3a Ed.: Editora Ática, 1996.

HAYASHI, M.C.P.I.: Política e Universidade: a consciência estudantil – 1964/1979. Dissertação de mestrado. Centro de Educação e Ciências Humanas, UFSCAR. São Carlos-SP, 1986.

MARTINS FILHO, João Roberto. Movimento Estudantil e Ditadura Militar: 1964-68. Campinas, SP: Papirus, 1987.

MARTINS FILHO. O Movimento Estudantil na conjuntura do golpe. In. TOLEDO, C N de (org.). 1964: Visões críticas do golpe: democracia e reformas no populismo. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1997, Cap. VI., p. 75-82.

MARTINS FILHO. Os estudantes nas ruas, de Goulart a Collor. In: MARTINS FILHO (org) 1968 faz 30 anos. Editora da UFSCar. São Carlos-SP. 1998, Cap I., p.11-27.

MOURA, M. F. de. A Questão Democrática no contexto da crise orgânica do Partido Comunista Brasileiro (PCB): 1979-1987. Marília, 2005. 191f. Dissertação de mestrado. Faculdade de Filosofia e Ciências, Unesp- Marília, 2005.

PELLICCIOTTA, M. M. B.: Uma aventura política: as movimentações estudantis da década de 70. Dissertação de mestrado. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UNICAMP. Campinas-SP, 1997.

RIDENTI, M. O fantasma da revolução brasileira. São Paulo: Editora Universidade Estadual Paulista, 1993.

SANFELICE, J L. Movimento Estudantil: a UNE e a resistência ao golpe de 64. SP: Cortez: Autores Associados, 1986.

SANTOS, J. de Souza. Unidade e diversidade no Movimento Estudantil: a heterogeneidade das esquerdas dentro da UNE (1964-1974). Marília, 2006. 89 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Ciências Sociais) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2006.

TOLEDO, Caio Navarro de. O governo Goulart e o Golpe de 64; 2° ed, SP Brasiliense, 1983.

VALLE, Maria Ribeiro do. 1968: O diálogo é a violência; Movimento Estudantil e Ditadura Militar no Brasil – Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1999.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2011 Revista Aurora

##plugins.themes.healthSciences.displayStats.downloads##

##plugins.themes.healthSciences.displayStats.noStats##