Zapatismo metodológico: a experiência de classe e os microfundamentos da ação política

Autores

  • Lucas Gebara SPINELLI

DOI:

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2009.v2n2.1209

Resumo

Buscamos aqui contrapor o marxismo de Edward Thompson ao marxismo de Adam Przeworski, igualmente críticos do estruturalismo marxista, partindo do problema colocado pelo surgimento do movimento zapatista nos anos 90 como objeto de análise e ponto de partida para a discussão sobre a formação das classes sociais, a lógica da ação coletiva e a consciência de classe. Nosso objetivo portanto não é a análise do movimento zapatista em si, mas o debate entre possíveis ferramentas teórico-metodológicas capazes de responder o problema dos microfundamentos explicativos da ação política, sem limitar o universo das lutas sociais à simples determinação automática de classe das ações políticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-07-20

Edição

Seção

Dossiê