A Etiologia da materialiade na teoria discursiva de Michel Foucault

Autores

  • Estêvão Carvalho Freixo Universidade Estadual do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2020.v13n2.p9-26

Palavras-chave:

Análise do discurso, História, Michel Foucault, Materialidade discursiva

Resumo

O campo da análise do discurso, em especial o segmento que se desenvolveu na França a partir dos trabalhos fundacionais de Foucault e Pêcheux, tem se havido, desde os resultados alcançados por esses dois autores, com a importante questão das implicações da materialidade no discurso. Neste trabalho, recuperamos certas posições no domínio da ciência e da filosofia a partir das quais se desdobraram alguns giros teóricos responsáveis por importantes modificações a esse respeito. Nossa análise indica que o conceito de matéria veio se oferecer, a partir do século XVIII, como novo centro de referência num contexto em que se fazia necessário empreender uma longa e dura batalha contra o primado da consciência, recusando-se, desde então, a substância pensante enquanto ponto de partida da análise científica. O que nos parece digno de nota, todavia, é que traços importantes da razão metafísica tenham sido de algum modo conservados – em graus e em formas distintas – nos casos que aqui consideramos.

Submetido em: 25/06/2020
Aceito em: 19/07/2020

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-05-11

Edição

Seção

Dossiê