Indeterminação e fenômenos fronteiriços: considerações segundo o ponto de vista do pragmatismo peirceano

Autores

  • Jorge de Barros Pires
  • Lauro Frederico Barbosa da Silveira

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000200013

Palavras-chave:

Conceitos Científicos, Fenômenos Fronteiriços, Pragmatismo, Vagueza, Indeterminação,

Resumo

O pragmatismo, como método formal, nos fornece uma importante arena para discussões a respeito do modo pelo qual conceitos podem ser construídos, independentemente de qualquer posição antropocêntrica ou linguística. O presente trabalho tem por finalidade efetuar uma discussão sobre a máxima pragmática e a tese sobre a indeterminação do significado (meaning) que ela traz consigo. Ou seja, busca-se entender o trânsito que há entre o indefinido e o definido, entre o indeterminado e o determinado, bem como algumas fronteiras intermediárias encontradas nos processos de determinação relativa do conceito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-07-26

Como Citar

Pires, J. de B., & Silveira, L. F. B. da. (2013). Indeterminação e fenômenos fronteiriços: considerações segundo o ponto de vista do pragmatismo peirceano. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 36(2), 219–240. https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000200013

Edição

Seção

Artigos e Comentários