A pessoa surda e a aquisição tardia da Língua Brasileira de Sinais

uma análise da prática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/2358-8845.2021.v8n1.p129-142

Palavras-chave:

Aquisição de linguagem, Criança surda, Língua Brasileira de Sinais

Resumo

O presente artigo surgiu a partir de uma experiência profissional enquanto pedagoga no desenvolvimento das atividades laborais, especificamente, com uma aluna surda da zona rural de um povoado da cidade de Cedro de São João - SE, onde as dificuldades decorrentes da defasagem escolar, analfabetismo e falta de preparação da escola e seus profissionais para trabalhar com a inclusão, levou à pesquisa sobre o processo de alfabetização e letramento visuais em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), observação e reflexão sobre a própria prática. O intuito deste artigo foi analisar os efeitos da aquisição tardia da LIBRAS no desenvolvimento da pessoa surda a partir de ações educativas realizadas no processo alfabetização e socialização escolar. A metodologia adotada se embasou na pesquisa-ação e abordagem qualitativa, com alunos do 4° ano do ensino fundamental menor, especialmente, uma aluna surda, tendo como etapas: i) reconhecimento do campo; ii) aplicação de atividades e avaliação, se utilizando de observação, entrevistas abertas e diários de campo e iii) análise dos dados. Os resultados obtidos mostraram o interesse da comunidade escolar em aprender a LIBRAS e interagir com a aluna surda, porém, as dificuldades na aquisição da linguagem nesse processo inicial de inclusão ainda foram bastante significativas. Consideramos a necessidade de ampliação de debate sobre a questão e de um direcionamento fundamentado na promoção de ações afirmativas de toda a escola, que possibilitem a formação educacional e permitam o atendimento educacional especializado de pessoas que foram historicamente excluídas pela sociedade ouvinte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ann Letícia Aragão Guarany, Faculdade São Luís de França

Especialista em LIBRAS e graduada em Pedagogia pela Faculdade São Luís de França

Kátia Cristina Aragão, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Doutoranda em Educação no Programa de Pós-graduação da Universidade Federal de Sergipe. Técnica em Assuntos Educacionais do Departamento de Apoio Pedagógico (DEAPE) da Universidade Federal de Sergipe

Edivaldo da Silva Costa, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Doutor em Educação. Chefe Departamental/Coordenador de curso de graduação e Docente do Departamento de Letras Libras da Universidade Federal de Sergipe

Referências

ARAÚJO, Claudia Campos Machado; LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. Esferas de atividade simbólica e a construção de conhecimento pela criança surda. Revista Brasileira de Educação Especial. 2008.

BALDISSERA, Adelina. Pesquisa-ação: Uma metodologia do “conhecer” e do “agira” coletivo. Sociedade em Debate, Pelotas, 7 (23):5-25, 2001.

BRITO, Lucinda Ferreira. Por uma gramática de língua de sinais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro; UFRJ, Departamento de Linguística e Filologia, 1995.

CAPOVILLA, Fernando César; RAPHAEL, Walkíria Duarte; MAURÍCIO, Aline C. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue da língua brasileira de sinais. São Paulo: Edusp, 2009.

CAPOVILLA, Fernando César et al. Dicionário da língua de sinais brasileira. São Paulo: Edusp, 2017.

FELIPE, Tanya Amara. LIBRAS em Contexto: Livro do Estudante. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 6ª Ed, 2005.

GÓES, Maria Cecília Rafael de. Linguagem, surdez e educação. São Paulo: Autores Associados, 1996.

GROLLA, Elaine. Aquisição de linguagem. UFSC: Florianópolis, 2009.

JEREMIAS, Daiana do Amaral. Alfabetização de surdos por uma prática alinhada ao modelo ideológico de letramento. Revista Linguagens & Letramentos, Cajazeiras - Paraíba. v.3, nº 1, Jan -Jun, 2018.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. Um pouco da história das diferentes abordagens na educação dos surdos. Cadernos Cedes, Campinas, v. 19, n. 46, 1998, p. 68-80.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. A prática pedagógica mediada (também) pela língua de sinais: Trabalhando com sujeitos surdos. Cadernos Cedes, v.20 n.50 Campinas Apr. 2000.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. A inclusão escolar de alunos surdos: o que dizem alunos, professores e intérpretes sobre esta experiência. Cadernos Cedes, vl. 26, n.69 Campinas, 2006.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. Petrópolis, Vozes, 2002.

MOTA, Mailce Borges. Aquisição de segunda língua. UFSC: Florianópolis, 2008.

PETITTO, L. A. et al. The Bilingual Paradox: How signing-speaking bilingual children help us to resolve it and teach us about the brain’s mechanisms underlying all langyage acquisition. Learning Languages, v. 8, n. 3 p. 5-18, 2003. Disponível em: http://www.dartmouth,edu/Ipetitto/Largequick.html.

PIZZIO, Aline; QUADROS, Ronice Müller de. Aquisição de língua de sinais. UFSC: Florianópolis, 2011.

QUADROS, Ronice Müller de; KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de Sinais Brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: ArtMed, 2004.

ROSSI, T. R. F. Um processo em direção ao bilingüismo. In: LACERDA, C. B. F.; NAKAMURA, H.; LIMA, M. C. (Org.). Fonoaudiologia: surdez e abordagem bilíngüe. São Paulo: Plexus, 2000. p. 99-102.

SACKS, Oliver. Vendo vozes: uma jornada pelo mundo dos surdos. Rio de Janeiro: Imago, 1990.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SANTOS, Rosemary Maria et. al. Os desafios de alfabetizar alunos surdos na sala de ensino regular. Anais do II CINTEDI – Congresso Internacional de Educação Inclusiva, Campo Grande, 2016. Disponível em: https://editorarealize.com.br/revistas/cintedi/trabalhos/TRABALHO_EV060_MD1_SA12_ID3265_13102016184204.pdf .

SOARES, Magna. Letramento e escolarização: as muitas facetas. Trabalho apresentado no GT Alfabetização, Leitura e Escrita, durante a 26ª Reunião Anual da ANPED, realizada em Poços de Caldas, MG, de 5 a 8 de outubro de 2003. Revista de Educação, n.25, 2004.

TRIPP, David. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, 2005.

Downloads

Publicado

2021-07-10