Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista.
  • Todos os autores estão cientes das normas da RDPEE e concordam com a submissão.
  • O artigo contém ao menos um dos membros com título de Doutor.
  • O trabalho submetido à revista deverá apresentar um autor com o título de doutor e, no máximo, três autores por trabalho.
  • Os arquivos para submissão estão em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • URLs para as referências foram informadas quando necessário.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos nas Normas para Publicação.
  • A identificação de autoria do trabalho foi removida do arquivo e da opção Propriedades no Word, garantindo desta forma o critério de sigilo da revista, caso submetido para avaliação por pares (ex.: artigos), conforme instruções disponíveis em Assegurando a Avaliação Cega por Pares disponíveis em: Assegurando a Avaliação Cega por Pares.
  • Todos os autores e/ou coautores devem ter cadastro no ORCID (https://orcid.org).

Diretrizes para Autores

Para submeter um trabalho a RDPEE é necessário fazer o cadastro em https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/dialogoseperspectivas/user/register . Todos os autores devem se cadastrar no Portal de Periódicos.

Para que a proposição seja aceita, o primeiro passo consiste em verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. Os autores e/ou coautores deverão excluir seu nome ou qualquer referência a ele de todo o corpo do texto a ser submetido, substituindo-o por “Autor”.

Os arquivos para submissão estão em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF. [Template]

A identificação de autoria do trabalho foi removida do arquivo e da opção Propriedades no Word, garantindo desta forma o critério de sigilo da revista, caso submetido para avaliação por pares (ex.: artigos), conforme instruções disponíveis em Assegurando a Avaliação Cega por Pares.

Todos os autores e/ou coautores são cadastrados no ORCID (https://orcid.org).

O autor deve acessar o sistema, clicar no link Nova submissão e preencher as informações necessárias nos cinco passos, a saber:

Passo 1. Início. Preenchimento obrigatório dos campos: Idioma da Submissão; Seção; Requisitos para Envio de Manuscrito e Declaração de direito autoral. Os comentários para o editor são opcionais.

Passo 2. Transferência do manuscrito: Neste passo deve ser enviado primeiro o manuscrito em PDF, versão que se destina à avaliação, sem informações que identifiquem a autoria, e com todas as tabelas, gráficos, quadros e figuras no lugar em que deve ser publicado. Em seguida, deve ser transferido/enviado o manuscrito COMPLETO em formato “.doc” ou “.docx”: esta versão obrigatória deve conter todas as informações sobre autoria e afiliação, além dos gráficos, quadros, tabelas e figuras nas devidas posições no texto.

Ainda nesta etapa também devem ser enviados os gráficos, quadros, tabelas e figuras em arquivos abertos e editáveis, separados, em Word ou Excel, e numerados com algarismos arábicos.

Passo 3. Insira metadados. Inclusão dos dados do artigo como título, subtítulo, resumo, coautores, fonte (agências de fomento, se for o caso), direitos autorais, idiomas, palavras-chave e referências citadas no texto. Os coautores também devem ser cadastrados no sistema.

Passo 4. Confirmação. Nesta etapa, o autor deve clicar em “Finalizar submissão”.

Passo 5. Próximos Passos. Nesta última etapa a submissão é completada.

Para acompanhar o status da submissão, o autor deve acessar o sistema → menu → acesso → login e senha.

Para obter informações sobre Foco e Escopo, clique aqui.

Todos os manuscritos submetidos ao periódico são examinados por meio de programas de detecção de plágio (Turnitin).

Para obter informações sobre a Ética na Pesquisa e Conflito de Interesses, clique aqui:

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS

Ensaios teóricos, Relatos de Pesquisa e Revisões de Literatura: devem ser digitados em papel A4 e com páginas numeradas (canto superior direito). Conter no mínimo 15 e no máximo 20 laudas, incluindo figuras, tabelas e referências. O espaçamento no corpo do texto deve ser de 1,5 cm, fonte do tipo Times New Roman, tamanho 12, texto justificado e parágrafos com 1,25 cm. As margens deverão seguir 2,5 cm para esquerda, direita, inferior e superior.

Relatos de Experiência e Depoimentos e/ou Entrevistas: os textos devem ser digitados em papel A4 e com páginas numeradas (canto superior direito). Conter no mínimo 8 e no máximo 12 laudas, incluindo as referências. O espaçamento no corpo do texto deve ser de 1,5 cm, fonte do tipo Times New Roman, tamanho 12, texto justificado, parágrafos com 1,25 cm. As margens deverão seguir 2,5 cm para esquerda, direita, inferior e superior.

Resenhas: o texto deverá conter todas as informações para a identificação do trabalho comentado e ser redigido, por, no máximo, dois autores. Devem ser digitadas em papel A4 e com páginas numeradas (canto superior direito). Conter no mínimo 2 e no máximo 3 laudas, incluindo as referências. O espaçamento no corpo do texto deve ser de 1,5 cm, fonte do tipo Times New Roman, tamanho 12, texto justificado, parágrafos com 1,25 cm. As margens deverão seguir 2,5 cm para esquerda, direita, inferior e superior.

ESTRUTURA DO TEXTO

Títulos e subtítulos: não podem exceder 80 caracteres com espaços.

Resumo e palavras-chave: deverá expor o objetivo, materiais e métodos, resultados e considerações finais, quanto se tratar de relato de pesquisa. No caso dos demais tipos de texto, serão aceitas variações, exceto para revisões bibliográficas, que deverão seguir também os itens descritos anteriormente.

Os resumos deverão conter, no máximo, 250 palavras, ser digitados sem parágrafos e sem citações de autores e datas. As palavras-chave devem ser indicadas após o resumo (mínimo de três e máximo de cinco palavras) e separadas por ponto final. Para a seleção das palavras que melhor representam a pesquisa, deve-se utilizar o site do Thesaurus Brasileiro da Educação, disponível na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais – INEP, http://inep.gov.br/thesaurus-brasileiro-da-educacao.

Abstract e Keywords: o resumo em inglês, bem com os descritores, deverão ser apresentados logo após o resumo em português, seguindo as mesmas normas apontadas anteriormente. No corpo do texto deve-se considerar as indicações de acordo com o tipo de manuscrito submetido e seguir as orientações de formatação para resumo, com atenção ao número máximo de 250 palavras.

Citações no texto: recomenda-se a NBR 10.520 ABNT.

As citações diretas, no texto, de até três linhas, devem estar contidas entre aspas duplas. As aspas simples são utilizadas para indicar citação no interior da citação.

Exemplos:

  1. Barbour (1971, p. 35) descreve: “O estudo da morfologia dos terrenos [...] ativos [...]”
  2. “Não se mova, faça de conta que está morta.” (CLARAC; BONNIN, 1985, p. 72).
  3. Segundo Sá (1995, p. 27): “[...] por meio da mesma ‘arte de conversação’ que abrange tão extensa e significativa parte da nossa existência cotidiana [...]”

As citações diretas, no texto, com mais de três linhas, devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado (recomenda-se tamanho 11, espaçamento simples) e sem as aspas.

Exemplo:

A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem. Tipos comuns de teleconferência incluem o uso da televisão, telefone, e computador. Através de audioconferência, utilizando a companhia local de telefone, um sinal de áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão. (NICHOLS, 1993, p. 181).

Ilustrações, equações/fórmulas, tabelas: recomenda-se a NBR 14724 ABNT. Todas as tabelas, gráficos, quadros e figuras devem ser enviados preferencialmente em Excel, em arquivos separados, numerados com algarismos arábicos (1, 2, 3...), com títulos (posicionados acima) padronizados quanto ao formato e termos utilizados. Abaixo destes, deve, obrigatoriamente, ser indicada a fonte dos dados (remetida às referências bibliográficas), com autoria e ano, inclusive se for de elaboração própria dos autores. As figuras (ilustrações, imagens, mapas, fotos, etc.) devem ter resolução de, no mínimo, 300 DPIs. Na versão em PDF, tabelas, gráficos, quadros e figuras devem vir inseridos no lugar em que serão publicados.

Ilustrações:  são consideradas as figuras, desenhos, gráficos, quadros, mapas, esquemas, fórmulas, modelos gráficos e fotografias. As legendas devem ser inseridas abaixo das ilustrações, numeradas consecutivamente em algarismos arábicos e centralizadas. No caso de imagens que indiquem indivíduos ou grupo de indivíduos, deverá ser apresentada, à Comissão Editorial, cópia dos documentos em que conste a autorização destes para publicação do material. No entanto, não poderão revelar a identidade dos indivíduos.

Tabela: apresentam informações tratadas estatisticamente e devem seguir os padrões do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O título deve ser inserido na parte superior, centralizado, e a numeração é consecutiva, em algarismos arábicos. Caso seja necessário especificar a fonte dos dados, esta deve ser colocada abaixo da tabela e o texto alinhado à esquerda.

Notas de rodapé ou ao final do texto: devem ser evitadas e, quando isso não for possível, estas devem ser colocadas no pé da página, utilizando o recuso disponível no editor de texto (Word); as remissões para o rodapé devem ser feitas por números, na entrelinha superior. Será usada numeração consecutiva das notas dentro do texto.

Referências: devem ser organizadas em ordem alfabética, alinhadas à esquerda, com espaçamento simples e elaboradas de acordo com as normas da ABNT, NBR 6023:2018.

Livros

FREITAS, Soraia Napoleão; PÉREZ, Susana Graciela Pérez Barrera.  Altas Habilidades/Superdotação: atendimento especializado. Marília: ABPEE, 2012. 140 p.

KREPPNER, Kurt. Aplicando a metodologia de observação em psicologia do desenvolvimento e da família. Tradução Maria Auxiliadora Dessen. Curitiba: Juruá, 2011. 162 p.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. Pensamento e linguagem. Tradução Jéferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 1989. 496p.

Capítulos de livro

GUENTHER, Zenita Cunha. Quem são os alunos dotados? Reconhecer dotação e talento na escola. In: MOREIRA, Laura Ceretta.; STOLTZ, Tania. (Org). Altas habilidades/superdotação, talento, dotação e educação. Curitiba: Juruá, 2012, p. 63 – 94.

LIMA, Denise Maria de Matos.; MOREIRA, Laura Ceretta. O professor frente à identificação do estudante com altas habilidades/superdotação na universidade. In: VIRGOLIM, Angela. (Org). Altas Habilidades/Superdotação: processos criativos, afetivos e desenvolvimento de potenciais. Curitiba: Juruá, 2018, p. 19 - 42.

Dissertações e Teses

DELEVATI, Aline de Castro. A política nacional de educação especial na perspectiva da Educação inclusiva (2007-2018): desafios para a constituição de Sistemas educacionais inclusivos no Brasil. 2021. 290 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Porto Alegre, RS, 2021.

DELLA JUSTINA, Júlia Graziela. A política de educação inclusiva nas instituições de educação superior da região sul de Santa Catarina. 2016. 131 f.  Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, 2016.

Legislações

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário oficial da União, seção 1, Brasília, DF, ano 131, n. 248, p. 1-289, 23 dez. 1996.

BRASIL. Decreto nº 3.928, de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1974, sobre a Política Nacional de integração da pessoa portadora de deficiência. Diário oficial da União, seção 1, Brasília, DF, ano 137, n. 243, p. 1-111, 21 dez. 1999.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão - LBI. Diário oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 7 jun. 2015. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm> Acesso em: 10 jan. 2021.

Artigos em periódicos impressos

MACIEL, Carina Elisabeth; ANACHE, Alexandra Ayach. A permanência de estudantes com deficiência nas universidades brasileiras. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, v. 33, n. especial 3, p. 71-86, dez. 2017.

Artigos em periódicos online

CHAGAS, Jane Farias; FLEITH, Denise de Souza.  Estudo comparativo sobre superdotação com famílias em situação socioeconômica desfavorecida. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v.15, n.1, p.155-170, jan.-abr. 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-65382009000100011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/a/sH696Yb5XhyXn7nnFSjbfwf/abstract/?lang=pt. Acesso em: 10 jan. 2021.

MARTINS, Sandra Eli Sartoreto de Oliveira; LEITE, Lúcia Pereira; CIANTELLI, Ana Paula Camilo. Mapeamento e análise da matrícula de estudantes com deficiência em três Universidades públicas brasileiras. Psicologia Escolar e Educacional, SP. Número Especial, p.15-23, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2175-3539/2018/033

Artigos em jornal de ciruculação diária

PROFETA, Mario Sérgio. Acessibilidade é tão antiga quanto respeito e dignidade. Há quem diga que não. Jornal Correio Mariliense, Marília, São Paulo, p. A2 - A2, 31 maio 2012.

Documento eletrônico

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Coordenadoria Geral de Bibliotecas. Grupo de Trabalho
Normalização Documentária da Unesp. Normalização Documentária para a produção científica da Unesp: normas para apresentação de referências. São Paulo, 2003. Disponível em: http://www.biblioteca. unesp.br/pages/normalizacao.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2004.

Trabalho de congresso ou similar (publicado)

HAYASHI, Carla; MACHADO, Dainon; ETO, Melvin; YAMANIHA, Simone; AUSEC, Ingrid. Deficiência visual no ensino superior: capacitação docente para a inclusão. In: SEMINÁRIO SOBRE INCLUSÃO NO ENSINO SUPERIOR, 3., 2012, Londrina. Anais... Londrina: Universidade Estadual de Londrina (UEL), 2012. p. 81-88.

Agradecimentos: devem ser incluídas as colaborações relacionadas ao reconhecimento técnico da pesquisa, por exemplo, o apoio financeiro.

Anexos e Apêndices: devem ser evitados. No entanto, aqueles de extrema importância para a compreensão ou complementação do texto principal, podem ser inseridos.

Nota: os dados e conceitos emitidos nos textos, bem como a exatidão das referências bibliográficas e aspectos éticos (pesquisas com seres humanos – Resoluções 466/2012 e 510/2016) são de inteira responsabilidade dos autores.

Os trabalhos que não se enquadrarem nas normas da Revista Diálogos e Perspectivas em Educação Especial serão devolvidos aos autores ou serão solicitadas adaptações, indicadas no sistema para submissão da revista, antes de seu envio aos pareceristas ad hoc.

 

 

Depoimentos e/ou Entrevistas

Seção aberta a pesquisadores e/ou personalidades com representação pública na área de Educação Especial, com vistas à descrição de depoimentos e/ou entrevistas sobre temas relevantes para a revista.

Política de Privacidade

Nos termos da Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018 – Lei Geral de Proteção de Dados, forneço à Revista Diálogos e Perspectivas em Educação Especial - RDPEE consentimento expresso para o tratamento de meus dados pessoais.

Os dados pessoais informados neste periódico serão usados, exclusivamente, para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros, exceto para cumprimento de obrigações contratuais e legais.