A mobilização política dos marinheiros brasileiros no contexto da Guerra da Coreia (1950-1953)
PDF

Palavras-chave

Marinheiros
Esquerda Militar
Guerra da Coreia

Como Citar

SILVA, R. S. da. A mobilização política dos marinheiros brasileiros no contexto da Guerra da Coreia (1950-1953). Revista Aurora, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 63–72, 2019. DOI: 10.36311/1982-8004.2019.v12esp.08.p63. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/9768. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo investigar a mobilização política dos marinheiros da Marinha de Guerra do Brasil que atuaram no contexto da Guerra da Coreia (1950-1953), quando se debatia no país, se o Brasil deveria participar do conflito asiático. Esta abordagem tem como ponto de partida o pós-guerra e o desencadeamento da Guerra Fria, momento em que este confronto ideológico e multifacetado politicamente ganha contornos de um conflito entre capitalismo x comunismo, e que na ocasião esteve próximo de uma guerra nuclear. Se o perigo comunista havia sido a justificativa do presidente Getúlio Vargas para instaurar a ditadura do Estado Novo; na Guerra da Coreia, o inimigo continuava sendo o mesmo, mas agora na península coreana em que se confrontavam militarmente o norte comunista e o sul capitalista. Esta abordagem tem como objetivo central verificar a hipótese de que um grupo de marinheiros de esquerda e muitos deles pertencentes ao Antimil (Setor Militar do PCB) atuaram e desenvolveram sua ação política com a finalidade de impedir que o governo brasileiro enviasse uma força expedicionária para combater na Guerra da Coreia. Em suma, buscaremos entender o processo de luta e mobilização bem como o mecanismo de repressão institucional que se abateu contra os marinheiros na Marinha de Guerra Brasileira, assim como analisar as graves violações aos direitos humanos que lhes foi infligidas como desdobramento de seu posicionamento político da não-participação das Forças Armadas na Guerra da Coreia.

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2019.v12esp.08.p63
PDF

Referências

ALVES, V. C. Da Itália à Coréia: decisões sobre ir ou não à guerra. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2007.

ALVES, V. C.; AMARAL, P. A. O processo decisório em política externa: a decisão de enviar tropas à Guerra da Coréia. XXVII Simpósio Nacional de História. Florianópolis, 2015. Disponível em http://www.snh2015.anpuh.org/resources/anais/39/1426284607_ARQUIVO_ArtigoANPUH.pdf. Acesso em 22/12/2017.

CUNHA, P. R. Um olhar à esquerda: a utopia tenentista na construção do pensamento marxista de Nelson Werneck Sodré. Rio de Janeiro: Revan; São Paulo: FAPESP, 2002.

CUNHA, P. R. Militares e militância: uma relação dialeticamente conflituosa. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

Depoimentos esclarecedores (Sobre as prisões de militares). Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Defesa dos Direitos do Homem, 1952.

Depoimentos esclarecedores: sobre os processos dos militares. v. II. Rio de Janeiro: Editora Associação Brasileira de Defesa dos Direitos do Homem, 1953.

HOBSBAWN, E. A era dos extremos. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MACMAHON, R. J. Guerra fria. Porto Alegre, RS: L&PM, 2012.

PEIXOTO, A. C. O Clube Militar e os confrontos no seio das Forças Armadas (1945-1964). In: ROUQUIÉ, Alain (Org.). Os partidos militares no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1980.

PEIXOTO, A. C. Exército e política no Brasil. Uma crítica dos modelos de interpretação. In: ROUQUIÉ, Alain (Org.). Os partidos militares no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1980.

RIBEIRO, J. F. Os “Combatentes da Paz”: a participação dos comunistas brasileiros na Campanha Pela Proibição das Armas Atômicas (1950). 2003. 188f. Dissertação de Mestrado (História), Universidade Federal Fluminense, Niterói.

SANDLER, S. A guerra da Coreia: nem vencedores nem vencidos. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 2009.

SILVA, M. G. Foices, martelos e fuzis: a militância comunista na casa dos sargentos do Brasil 1949-1950. 2009. 152f. Trabalho de Conclusão de Curso (História), Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras do Centro Universitário Fundação Santo André, Santo André.

SILVA, M. G. Militares Militantes: a militância comunista na Casa do Sargento do Brasil e na Casa do Sargento de São Paulo 1947-1952. 2017. 253f. Dissertação de Mestrado (Ciências Humanas e Sociais), Universidade Federal do ABC, Santo André.

SODRÉ, N. W. Memórias de um soldado. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

SODRÉ, N. W. História militar do Brasil. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

SOLANA, E. C. A paz sob suspeita – representações jornalísticas sobre a manutenção da paz mundial, 1945-1953. 2010. 272f. Tese de Doutorado (História), faculdade de Ciências e Letras de Assis, Assis.

VIZENTINI. P. G. F. “A guerra fria”. In: O tempo das crises: revoluções, fascismos e guerras. Daniel Aarão Reis Filho, Jorge Ferreira, Celeste Zenha (Orgs.) Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008, pp. 195-225. (O século XX; v. 2).

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Revista Aurora

Downloads

Não há dados estatísticos.