As vontades, o dinheiro e o desencantamento: um ensaio sobre a tradição sociológica alemã

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2019.v12esp.05.p27

Palavras-chave:

concepção de modernidade, tradição sociológica alemã, crise da sociologia

Resumo

A atual crise estrutural do capitalismo deixa em crise também a sociologia. Tal crise nos impulsiona para uma análise dos clássicos da sociologia, sobretudo alemã, para compreendê-la. Este breve ensaio tem como objetivo a análise das concepções de modernidade presentes nas obras de Ferdinand Tönnies (1855-1936), Georg Simmel (1858-1918) e Max Weber (1864-1920). Deste modo, será exposto através da observação das obras dos autores, as diferenças e semelhanças entre suas formulações teóricas. A proposta é ressaltar a contribuição das matrizes teóricas desses autores para a sociologia de um modo geral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Ramos Garcia, Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) – UNESP/campus de Marília

Bacharel e mestre em Ciências Sociais pela UNESP/FFC-Marilia.

Downloads

Publicado

2019-12-20

Como Citar

GARCIA, F. R. As vontades, o dinheiro e o desencantamento: um ensaio sobre a tradição sociológica alemã. Revista Aurora, [S. l.], v. 12, n. Edição Esp, p. 27–40, 2019. DOI: 10.36311/1982-8004.2019.v12esp.05.p27. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/9765. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Encarte Especial