O Brasil paulista

a identidade nacional no pensamento político e social de Júlio de Mesquita Filho

Autores

  • Guilherme Pigozzi Bravo Universidade Estadual Paulista (Unesp) image/svg+xml

DOI:

https://doi.org/10.36311/1982-8004.2013.v7n1.3397

Palavras-chave:

OESP, Hegemonia, Identidade, Democracia

Resumo

O projeto político elaborado por Júlio de Mesquita Filho norteava a atuação do jornal O Estado de S. Paulo e propunha a reconstrução do Estado e a regeneração dos costumes políticos do país. De acordo com “Julinho”, a República brasileira mostrava-se decadente no campo político e social, graças à abolição da escravatura e o consequente afastamento das elites intelectuais da máquina política nacional, dominada pelas oligarquias estaduais que se perpetuavam no poder, por meio de práticas eleitorais fraudulentas. A execução do referido projeto ficaria nas mãos de uma força dirigente paulista que, considerada superior em relação aos demais brasileiros, a partir de critérios de raça, nascimento e tradição histórica, ficaria responsável pela construção de uma “identidade coletiva” e pela condução dos destinos do país, possibilitando, desta maneira, a “adaptação” da democracia no Brasil. Contudo, tal projeto fazia, sim, parte dos planos para a hegemonia política e cultural de uma fração da classe dirigente paulista, representada pelo grupo que controlava o jornal O Estado de S. Paulo (OESP).

Biografia do Autor

  • Guilherme Pigozzi Bravo, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

    Graduado em História pela FCL – UNESP de Assis, mestre e doutorando em Ciências Sociais pela FFC- UNESP de Marília. Artigo apresentado para avaliação junto à disciplina “Identidade(s) e Construções Identitárias na Contemporaneidade” do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da FFC-UNESP- Marília. Professor Responsável: Antônio Mendes da Costa Braga. E-mail: guipbravo@yahoo.com.br.

Referências

BORGES, Vavy Pacheco. Getúlio Vargas e a Oligarquia Paulista (história de uma esperança e muitos desenganos). São Paulo: Ed. Brasiliense, 1979.

BORGES, Vavy Pacheco. São Paulo, anos 1930: um “estado” humilhado? In: MARSON, Izabel, NAXARA, Márcia (orgs.). Sobre a Humilhação: Sentimentos, Gestos, Palavras. Uberlândia: EDUFU, 2005.

BARTH, Fredrik. Grupos Étnicos e suas Fronteiras. In: FENART-STREIFF, Jocelyne; POUTIGNAT, Philippe. Teorias da Etnicidade. São Paulo: EDUNESP, 2011.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Zahar, 2005. BRAVO, Guilherme P. O papel conservador dos liberais: a ANL e os Levantes Nacional- Libertadores de Novembro de 1935 nas páginas do jornal O Estado de S. Paulo. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – FFC – Universidade Estadual Paulista, Marília, 2012.

CAPELATO, Maria Helena. PRADO, Maria Lígia. O Bravo Matutino (Imprensa e Ideologia no jornal O Estado de São Paulo”). São Paulo: Alfa-Ômega, 1980.

CAPELATO, Maria Helena. Os Arautos do Liberalismo – Imprensa Paulista 1920 - 1945. São Paulo: Brasiliense, 1a edição, 1989.

CARDOSO, Irene. A universidade da comunhão paulista. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1982.

CORRÊA, Arsenio Eduardo (Org.). Escritos Políticos de Armando de Salles Oliveira. Brasília: Instituto Tancredo Neves, 2002

DUARTE, Paulo. Júlio Mesquita. São Paulo: Hucitec, 1977.

FONSECA, Francisco. O consenso forjado: a grande imprensa e a formação da Agenda Ultraliberal no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2005.

FREYRE, Gilberto. Ordem e Progresso. São Paulo: Global, 2004.

LEITE, Dante Moreira. O caráter nacional brasileiro: história de uma ideologia. São Paulo: Editora Unesp, 2007.

LOCKE, John. Segundo Tratado sobre o Governo. São Paulo: Martin Claret, 2006. LOSURDO, Domenico. Contra-História do Liberalismo. Aparecida, SP: Idéias e Letras, 2006.

MESQUITA FILHO, Júlio de Mesquita. A crise Nacional. São Paulo: Secção de obras d “O Estado de S. Paulo, 1925.

MESQUITA FILHO, Júlio de Mesquita. A Democracia e o Fenômeno Brasileiro. In: A Doutrina democrática e a realidade nacional. São Paulo: Fórum “Roberto Simonsen”/FIESP, 1964.

MESQUITA FILHO, Júlio de Mesquita. Ensaios Sul-Americanos. São Paulo: Ed. Martins, 1946.

MESQUITA FILHO, Júlio de Mesquita. Nordeste. São Paulo: Editora Anhembi, 1963.

MESQUITA FILHO, Júlio de Mesquita. Política e Cultura. São Paulo: Ed. Martins, 1969.

MESQUITA FILHO, Júlio de Mesquita. Vida de um Revolucionário. Ed. Anhembi, 1954.

REIS, José Carlos. As identidades do Brasil: de Varnhagen a FHC. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

SALONE, Roberto. Irredutivelmente Liberal: política e cultura na trajetória de Júlio de Mesquita Filho. São Paulo: Ed. Albatroz, 2009.

SANTOS, Wanderley Guilherme dos. Ordem Burguesa e Liberalismo Político. São Paulo: Duas Cidades, 1978.

SKIDMORE, Thomas. Preto no Branco: Raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

SODRÉ, Nelson Werneck. A Ideologia do Colonialismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

VIEIRA, Evaldo. Autoritarismo e corporativismo no Brasil (Oliveira Vianna e Companhia). São Paulo: EDUNESP, 2011.

Downloads

Publicado

2013-12-12

Edição

Seção

Dossiê

Como Citar

O Brasil paulista: a identidade nacional no pensamento político e social de Júlio de Mesquita Filho. Revista Aurora, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 59–82, 2013. DOI: 10.36311/1982-8004.2013.v7n1.3397. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/aurora/article/view/3397.. Acesso em: 14 jun. 2024.