Pandemia e Estado Necropolítico

um ensaio sobre as Políticas Públicas e o agravamento das vulnerabilidades da população negra frente a COVID-19

Autores

  • André Sena UFRJ
  • Mariana Rodrigues UFRJ

Palavras-chave:

Necropolítica, COVID-19, políticas públicas

Resumo

Este artigo reflete sobre três eixos temáticos distintos e interligados: a pandemia de COVID-19, a ação do governo manifestada na implementação de políticas públicas emergenciais e o pano de fundo do racismo estrutural e da necropolítica como fatores que orientam a maneira como o Estado faz a gestão da crise sanitária. Inicialmente, este trabalho apresenta um breve panorama da pandemia e algumas reflexões das ciências sociais a respeito dela. Em seguida, discutimos a maneira como o Estado brasileiro se colocou diante da emergência de saúde pública, analisando seus investimentos e ações. Por fim, a articulação entre o racismo estrutural e a necropolítica nos permite compreender como se agravou as condições de vulnerabilidades sociais das populações negras frente ao cenário instaurado pelo coronavírus e como cada uma dessas instâncias de poder age para que elas sejam mais intensificada

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Sena, UFRJ

Mestrando em Políticas Públicas em Direitos Humanos – PPDH/UFRJ, bacharel em Defesa e Gestão Estratégica Internacional – IRID/UFRJ e pesquisador no Diretório de Pesquisa do CNPq Desigualdade, interseccionalidade e Política Pública.

andresennas0@gmail.com

Mariana Rodrigues, UFRJ

Mestranda em Políticas Públicas em Direitos Humanos pelo Núcleo de Políticas Públicas e Direitos Humanos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NEPP/UFRJ), é graduada em Comunicação Social pela mesma instituição. Atualmente, é pesquisadora no Diretório de Pesquisa "Desigualdade, Interseccionalidade e Política Pública" do CNPq. Suas principais áreas de interesse englobam: Políticas Públicas, Direitos Humanos, Desigualdades, questões étnico-raciais e interseccionalidade.

Downloads

Publicado

2021-03-27