Assimetria entre verdade e falsidade e a fecundidade da falsidade

Autores

  • César Augusto Battisti UNIOESTE

Palavras-chave:

Comportamento assimétrico da falsidade, Dissociação entre critério e campo de validade, Demonstração versus dedução, Assimetria e método hipotético-dedutivo, Falibilismo

Resumo

OO objetivo do artigo é evidenciar quão fecunda é a falsidade, no âmbito de sua posição assimétrica com a verdade. O núcleo da discussão pode ser sintetizado por meio da seguinte afirmação: se de verdades só se podem tirar verdades, não é possível dizer que a verdade não possa ser tirada da falsidade. A tese central do texto é a de que o comportamento assimétrico da falsidade promove a dissociação entre critério (pautado na conservação da verdade) e campo de validade, de modo que este último, mais amplo que o primeiro, incorpore o movimento, não só da verdade para a verdade, mas também de falsidade para a falsidade e, principalmente, de falsidade para verdade. A distinção entre os campos simétrico e assimétrico permite compreender, por exemplo, a emergência de certas falácias lógicas, a separação entre demonstração e dedução, a tese do falibilismo popperiano e o uso do método hipotético-dedutivo. A verdade, definitivamente, não tem funções análogas às da falsidade. objetivo do artigo é evidenciar o quanto é fecunda a falsidade no âmbito de sua posição assimétrica com a verdade. O ponto central aqui proposto pode ser sintetizado pela afirmação aristotélica que diz mais ou menos isto: “se da verdade só se pode tirar a verdade, da falsidade, por outro lado, pode-se tirar não só o falso, mas também o verdadeiro” (Prim. Anal., II, 2, 53b 6-8). A distinção entre os campos simétrico e assimétrico é rica em consequências, nos permitindo compreender, por exemplo, a emergência de certas falácias lógicas e a separação entre demonstração e dedução, bem como a tese do falibilismo popperiano e o uso do método hipotético-dedutivo em geral. Dentro desse quadro, a verdade, definitivamente, não tem funções análogas às da falsidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

César Augusto Battisti, UNIOESTE

Docente do Curso de Filosofia e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Toledo, PR – Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9259-5563.

Referências

ALBERT, H. Tratado da Razão Crítica. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1976 (Coleção Biblioteca Tempo Universitário).

ALMEIDA, N. E. Os princípios de verdade no Livro IV da Metafísica de Aristóteles. Princípios, v. 15, n. 23, p. 05-63, jan./jun. 2008.

ANGIONI, L. Os seis requisitos das premissas da demonstração científica em Aristóteles. (Segundos Analíticos I 2). Manuscrito, v. 35, n. 1, p. 7-60, jan./jun. 2012.

ARISTÓTELES. Organon: I – Catégories; II - De l’Interprétation; III – Les Premiers Analytiques; IV – Les Secondes Analytiques; V – Les Topiques; VI – Les Réfutations Sophistiques. 2. ed. Tradução de J. Tricot. Paris: Vrin, 1992-1997.

ARISTÓTELES. Metafísica. 2. ed. Tradução italiana de G. Reale. Tradução do italiano para o português de M. Perini. São Paulo: Loyola, 2005.

ARISTÓTELES. Órganon: Categorias, Da Interpretação; Analíticos Anteriores, Analíticos Posteriores, Tópicos, Refutações Sofisticas. 2. ed. Tradução de E. Bini. Bauru, SP: EDIPRO, 2010.

BRANQUINHO; J.; MURCHO, D.; GOMES, N. G. Enciclopédia de Termos Lógico-Filosóficos. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

COPI, I. M. Introdução à Lógica. 2. ed. Tradução de A. Cabral. São Paulo: Mestre Jou, 1978.

CORCORAN, J. Argumentações e Lógica. Tradução de Wagner Snaz. O que nos faz Pensar, v. 19, n. 28, p. 291-327, dez. 2010.

KNEALE, W.; KNEALE, M. O Desenvolvimento da Lógica. 2. ed. Tradução de M. S. Lourenço. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1980.

LUKASIEWICZ, J. Sobre a lei da contradição em Aristóteles. In: ZINGANO, M. Sobre a Metafísica de Aristóteles. São Paulo: Odysseus, 2009. p. 1-24.

MORTARI, C. A. Introdução à Lógica. São Paulo: Ed. UNESP: Imprensa Oficial do Estado, 2001.

POPPER, K. R. Lógica da Pesquisa Científica. 2. ed. Tradução de L. Hegenberg e O. S. da Mota. São Paulo: Cultrix, 1972.

SALMON, W. C. Lógica. 3. ed. Tradução de L. Hegenberg e O. S. da Mota. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

SCHORN, R. Duas correções à epistemologia de Popper. Sofia, v. 7, n. 1, p. 163-77, jan./jun. 2018.

Recebido: 11/07/2023 - Aceito: 08/09/2023 - Publicado: 13/02/2024

Publicado

08-02-2024

Como Citar

Battisti, C. A. (2024). Assimetria entre verdade e falsidade e a fecundidade da falsidade. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 47(1), e0240074. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14848

Edição

Seção

Artigos