TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao <p>É um periódico científico de publicação contínua de volumes anuais, vincluado ao Departamento de Filosofia e Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UNESP. Sua missão é publicar resultados de pesquisas consolidadas em filosofia e áreas correlatas, buscando contribuir com a socialização, discussão e desenvolvimento do conhecimento na área.</p> <p><strong>TRANS/FORM/AÇÃO</strong><br /><strong>Qualis/CAPES:</strong> A1<br /><strong>e-ISSN:</strong> 1980-539X<br /><strong>ISSN (impresso):</strong> 0101-3173<br /><strong>ISSN L:</strong> 0101-3173<br /><strong>Ano de fundação:</strong> 1974<br /><strong>Periodicidade:</strong> Trimestral (a partir de 2022 a revista pretende adotar o modo de publicação em fluxo contínuo)<br /><strong>Editor responsável:</strong> Marcos Antonio Alves<br /><strong>E-mail institucional:</strong> transformacao.marilia@unesp.br</p> <p><strong>Indexadores: </strong><br /><em><strong>Base de dados: </strong></em><a href="https://biblat.unam.mx/pt/revista/transformacao">Biblat</a> | <a href="https://www-periodicos-capes-gov-br.ez87.periodicos.capes.gov.br/index.php/acervo/lista-a-z-periodicos.html">CAPES</a> | CLASE | <a href="https://essentials.ebsco.com/search/eds/details/trans-form-a%C3%A7%C3%A3o?query=trans/form/a%C3%A7%C3%A3o&amp;requestCount=0&amp;db=edsdoj&amp;an=edsdoj.35791329887246fa9cfe437b5ae94989">EBSCO</a> | <a href="https://scholar.google.com.br/citations?user=QpIvv0kAAAAJ&amp;hl=pt-BR&amp;authuser=1">Google Scholar</a> | <a href="https://oasisbr.ibict.br/vufind/Search/Results?lookfor=TRANS%2FFORM%2FA%C3%87%C3%83O&amp;type=AllFields&amp;filter%5B%5D=network_name_str%3A%22Trans%2FForm%2FA%C3%A7%C3%A3o+-+Revista+de+Filosofia%22%20">Oasisbr</a> | <a href="https://www.scopus.com/sourceid/5600155298">Scopus</a> | <a href="https://mjl.clarivate.com/search-results?issn=0101-3173&amp;hide_exact_match_fl=true&amp;utm_source=mjl&amp;utm_medium=share-by-link&amp;utm_campaign=search-results-share-this-journal">Web of Science</a> | <a href="https://philindex.org/full-text-2/">The Philosopher’s</a> | <a href="https://www.scilit.net/journal/2441948">Scilit</a> <br /><em><strong>Diretórios:</strong></em> <a href="https://diadorim.ibict.br/handle/1/592">Diadorim</a> | <a href="https://doaj.org/toc/1980-539X?source=%7B%22query%22%3A%7B%22bool%22%3A%7B%22must%22%3A%5B%7B%22terms%22%3A%7B%22index.issn.exact%22%3A%5B%220101-3173%22%2C%221980-539X%22%5D%7D%7D%5D%7D%7D%2C%22size%22%3A100%2C%22sort%22%3A%5B%7B%22created_date%22%3A%7B%22order%22%3A%22desc%22%7D%7D%5D%2C%22_source%22%3A%7B%7D%2C%22track_total_hits%22%3Atrue%7D">DOAJ</a> | MLA<br /><em><strong>Índices e Portais:</strong></em> <a href="https://anpof.org/periodicos/transformacao-revista-de-filosofia--unesp-marilia">ANPOF</a> |<a href="https://www.base-search.net/Search/Results?lookfor=trans%2Fform%2Fa%C3%A7%C3%A3o&amp;name=&amp;oaboost=1&amp;newsearch=1&amp;refid=dcbasen"> BASE</a> |ERIHPLUS |<a href="https://www.latindex.org/latindex/ficha/18260">Latindex</a> | <a href="https://miar.ub.edu/issn/0101-3173">MIAR</a> | <a href="https://www.scielo.br/j/trans/">SciELO</a> | <a href="https://www.scimagojr.com/journalsearch.php?q=5600155298&amp;tip=sid&amp;clean=0">SJR</a> | <a href="https://portal.issn.org/resource/ISSN/1980-539X">ISSN</a> |<br /><em><strong>Redes Sociais Acadêmicas:</strong></em> <a href="https://unep.academia.edu/TrevistadefilosofiadaUnesp?from_navbar=true">Academia.edu </a>| <a href="https://latinrev.flacso.org.ar/revistas/transformacao-revista-filosofia-da-unesp">LatinRev</a> | ProQuest | <a href="https://www.redalyc.org/revista.oa?id=3842&amp;tipo=indicadores">Redalyc</a> | <a href="https://redib.org/Serials/Record/oai_revista5352-transforma%C3%A7%C3%A3o">REDIB</a> | <a href="https://philpapers.org/pub/4338">The PhilPapers Foundation</a></p> <p><strong>Licença:</strong></p> <p> <strong><img src="https://revistas.marilia.unesp.br/public/site/images/labeditorial/logo----creative-commons-attribution-license.jpg" alt="" width="88" height="32" /></strong></p> Faculdade de Filosofia e Ciências pt-BR TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp 0101-3173 <pre>Este é um artigo publicado em acesso aberto sob uma licença Creative Commons.</pre> Tradução: Serendipidade e Indisciplinaridade https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13999 <p class="western" lang="pt-BR" align="justify">A serendipidade é a arte de prestar atenção àquilo que surpreende e imaginar uma interpretação apropriada. A indisciplinaridade consiste em investigar além das disciplinas e contra seus efeitos esclerosantes. A primeira está no cerne do processo de qualquer descoberta, a segunda confronta diretamente com o paradoxo das disciplinas, ao mesmo tempo necessárias e prejudiciais. A serendipidade está na origem da indisciplinaridade ou é sua causa final. A "indisciplinaridade" poderia se tornar, junto com a "serendipidade", o conceito indispensável à dinâmica da pesquisa, como a "interdisciplinaridade" foi em seu tempo.</p> Patricia Reis Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-02-07 2024-02-07 47 e0240021 e0240021 Vida individual, vida social e conhecimento dialético https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15331 <p>Este artigo procura mostrar que a ligação entre a vida humana individual e a vida social é presidida por um movimento dialético. Em primeiro lugar, a vida se caracteriza como um processo no qual são definidos os próprios orçamentos. Posteriormente, é explicado em que consiste o processo do metabolismo social humano. Por fim, destaca-se a forma dialética adotada pela relação entre o eu individual e o processo de individuação social. Conclui-se que o processo de vida humano individual é uma potência que se atualiza como processo de metabolismo social baseado no trabalho.</p> Rodrigo Steimberg Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-11 2024-05-11 47 e02400177 e02400177 Ciência precautória: sistematização e proposta de definição da precaução epistêmica https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15395 <p>Defensores do princípio da precaução propõem com frequência mudanças nas práticas científicas, para que elas facilitem o mesmo objetivo do princípio: evitar ameaças incertas ao ambiente ou à saúde humana. A ciência deveria ser uma ciência precautória. Apesar da importância prática da ciência precautória e da sua proximidade com os debates sobre ciência e valores, ela ainda não foi sistematicamente examinada. Neste artigo, pretende-se contribuir para a literatura sobre a ciência precautória de dois modos: sistematizando sua literatura prévia e propondo uma definição de um de seus elementos principais, a precaução epistêmica, como uma orientação específica para a gestão de riscos indutivos. Conclui-se com algumas objeções que tal definição levanta, bem como caminhos de pesquisas futuras para abordá-las.</p> Pedro Bravo Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-11 2024-05-11 47 e02400176 e02400176 O existencialismo vulgar na cultura pop: entre a utopia e a distopia no imaginário contemporâneo https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15452 <p>Com o triunfo do capitalismo, ao final da Guerra Fria, a década de noventa viu emergir um sentimento otimista apoiado na ideia de um progresso ilimitado. Tal sentimento, como afirma Fisher (2020), foi questionado a partir das crises das primeiras décadas do século XXI, fazendo emergir um sentimento melancólico sobre o futuro. Essa nova fase do capitalismo tem produzido, na cultura pop, uma série de produtos de temática existencial, porém, com tom desesperançoso sobre os rumos da sociedade. A problemática aqui visa a analisar a cultura pop, através de um prisma existencial sartriano, buscando compreender como a cultura pop cria clichês inspirados no existencialismo histórico, produzindo o que será chamado de “existencialismo vulgar”, em contraponto com o existencialismo histórico de Sartre. A hipótese se desdobra em duas partes: 1- O existencialismo vulgar promove uma revolta hedonista, que não ameaça o sistema, reduzindo a crise a uma forma de conduta “neutralizada”; 2- Tal conduta se sustenta em um imaginário que se funda em produções da cultura pop, nas quais se manifestam uma melancolia e um fatalismo em relação a tentativas de transformação radical da sociedade.</p> Diego Rodstein Rodrigues Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-11 2024-05-11 47 e02400175 e02400175 Epistemologia e autonomia no conceito de ideia musical de E. Hanslick https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15007 <p>O presente trabalho aborda a filosofia estética de Eduard Hanslick, no intuito de demarcá-la enquanto abordagem epistemológica da música e um caso paradigmático para a autonomia musical. Foram analisadas as premissas epistemológicas que guiaram a obra <em>Do belo musical</em>, bem como as suas mais prováveis influências. Conclui-se, apresentando o conceito de <em>ideia musical</em> como formulação epistemológica fortemente influenciada pelo positivismo e princípio qualificador da percepção musical autônoma. Adiciona-se a essa conclusão uma desambiguação, com o conceito de <em>ideia estética</em> de Kant.esente trabalho aborda a filosofia estética de Eduard Hanslick no intuito de demarca-la enquanto abordagem epistemológica da música e um caso paradigmático para a autonomia musical. Foram analisadas as premissas epistemológicas que guiaram a obra <em>Do belo musical</em>, bem como as suas mais prováveis influências. Concluímos apresentando o conceito de <em>ideia musical</em> enquanto formulação epistemológica fortemente influenciada pelo positivismo e enquanto princípio qualificador da percepção musical autônoma. Adicionamos a essa conclusão uma desambiguação com o conceito de <em>ideia estética</em> de Kant.</p> Ricardo Miranda Nachmanowicz Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-01 2024-05-01 47 e02400166 e02400166 Deslocamento semântico e contestabilidade essencial de conceitos: uma abordagem a partir de uma negatividade hegeliana restrita https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15010 <p>O objetivo deste artigo é mostrar como a proposta de W. B. Gallie a respeito da contestabilidade essencial dos conceitos políticos acabou por colocar em questão a própria noção de contestabilidade essencial proposta por este autor. Apesar disso, consideramos que tal noção ainda pode ser uma contribuição para a história dos conceitos se for complementada com alguns aspectos da filosofia de Hegel, localizados em sua Ciência da Lógica, que podem fornecer fundamento para tal contestabilidade a partir de uma negatividade autorreferida aberta deslocamentos semânticos. Isso permite que a proposta de Gallie seja recebida sem ter que aceitar todos os seus compromissos teóricos, radicalizando sua proposta e fornecendo algumas indicações úteis para a história dos conceitos políticos.</p> Juan Serey Aguilera Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-01 2024-05-01 47 e02400165 e02400165 Dialética e aprendizagem em Theodor W. Adorno e Lev S. Vygotsky https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14528 <p>Este artigo aborda as relações entre dialética e aprendizagem dentro das constelações dos universos conceituais de Adorno e Vygotsky. Nessa ordem, proceda à análise do conjunto de vínculos entre as principais categorias dialéticas que estruturam a abordagem dialética que caracteriza os dois representantes da tradição do pensamento marxista (processo, totalidade, mediação, campos de força, contradição, práxis) e os vasos comunicantes que vão da epistemologia à estética e que demonstram a pertinência das tarefas do pensamento frente à transformação social. Finalmente, o artigo aborda a questão de um (im)possível horizonte analítico que surge, de ambos os pensadores, para pensar, hoje em dia, enfaticamente a emancipação social e seus desafios.</p> Fabrizio Fallas-Vargas Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-01 2024-05-01 47 e02400164 e02400164 Por trás da inteligência artificial: uma análise das bases epistemológicas do aprendizado de máquina https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15196 <p>O presente artigo visa a analisar, de forma crítica, os fundamentos epistemológicos da inteligência artificial. Com base no exame de obras que explicam o funcionamento dessa tecnologia, compreende-se que a sua base epistemológica é composta pelo método indutivo e pela estatística apoiada em uma matematização da realidade. São esses elementos que permitem que as máquinas aprendam através do reconhecimento de padrões e possam fazer previsões e oferecer respostas. No entanto, esses fundamentos apresentam limitações e problemas, os quais foram discutidos por filósofos, ao longo da história. Neste artigo, será demonstrado como a indução e a matematização funcionam como base epistemológica da inteligência artificial e como algumas das limitações dessa tecnologia podem ser explicadas através das debilidades dos métodos que a sustentam.</p> Cristian Arão Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-01 2024-05-01 47 e02400163 e02400163 Comentário a “Bioética islâmica e valores da globalização moderna: principais pontos de contato” https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15619 <p>Referência do artigo comentado: JAVADLI Gamar. Islamic bioethics and modern globalization values: main points of contact. <strong>Trans/Form/Ação:</strong> Unesp Journal of Philosophy, v. 47 n. 3, e0240087, 2024. Available at: <a href="https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14681" target="_blank" rel="noopener">https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14681</a>.</p> Romas Beresniovas Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-03-15 2024-03-15 47 e02400125 e02400125 Comentário a "O acontecimento de uma vida verdadeira: a filosofia de François Jullien e o recurso cristão" https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15618 <p>Referência ao artigo comentado: Solís-Nova, David. El acontecimiento de una verdadera vida: la filosofía de François Jullien y el recurso cristiano. <strong>Trans/Form/Ação</strong>: Revista de filosofia da Unesp, v. 47, n. 3, e0240086. Disponible en: <a href="https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14993" target="_blank" rel="noopener">https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14993</a>.</p> Agostino Molteni Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-03-15 2024-03-15 47 e02400124 e02400124 Normas de submissão e avaliação https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15210 <p>Normas para submissão e publicação</p> Marcos Antonio Alves Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-10-10 2023-10-10 47 Apresentação ao Vol. 47, n. 2 https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15138 <p>As part of the celebrations of its 50th anniversary, Trans/Form/Ação: Unesp Journal of Philosophy, launches a call to bring together publications around feminine perspectives in philosophical thought.</p> Marcos Antonio Alves Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-10-10 2023-10-10 47 e0240008 e0240008 Duas contribuições de Lélia Gonzalez para a consolidação de um Feminismo Decolonial e Antirracista https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15244 <p>O artigo apresenta e discute duas contribuições de Lélia Gonzalez para a consolidação de um feminismo afro-latino-americano verdadeiramente comprometido com a ruptura dos mecanismos de opressões coloniais, bem como interessado na libertação de todos os seres humanos subalternizados pelo processo de colonização europeia. A primeira contribuição diz respeito à importância de se compreender a formação da sociedade brasileira em perspectiva decolonial, enquanto a segunda se refere à necessidade de os movimentos feministas incluírem as pautas raciais em suas agendas, a fim de se engajarem na luta antirracista.</p> Roberta Bandeira de Souza Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-11 2024-05-11 47 e02400174 e02400174 Os "lugares de memória" como valores históricos e espirituais da regeneração da cultura do Cazaquistão https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15164 <p>A memória nacional do Cazaquistão caiu no esquecimento, durante os 70 anos de regime soviético, o que levou à ameaça de perda parcial do patrimônio cultural nacional. A política colonial russa impediu a visita a lugares sagrados, como tradição, para honrar os antepassados e perpetuar a memória nacional. Quando o Cazaquistão se tornou independente, a memória histórica perdida foi restaurada pela formação da ideologia espacial e constituiu uma "canonização nacional" espontânea. Os iniciadores da renovação dos lugares de memória no país, incluindo os locais sagrados, foram os descendentes dos antepassados sagrados e os cidadãos patriotas. Em 2017, o Estado adotou o programa Rukhani Zhangyru, que visa à restauração de locais históricos com potencial para o desenvolvimento da consciência nacional e a unificação nacional em torno da história viva. A esse respeito, o principal objetivo deste trabalho é estudar os pontos de crescimento de uma nova ideologia espacial, na paisagem cultural do Cazaquistão. Os autores propõem uma classificação de tipos de lugares sagrados que contribuirá para a unificação de todas as camadas de identificação nacional num único todo.</p> Farida Mussatayeva Zaure Malgarayeva Meruyert Issayeva Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-11 2024-05-11 47 e02400173 e02400173 O sentido como ser-com e tato em Jean-Luc Nancy https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15151 <p>Neste artigo, pergunta-se sobre como o nosso mundo faz ou é sentido ainda hoje, sempre e novamente. Essa é a pergunta a que Nancy tenta responder ininterruptamente, ao longo de toda a sua pesquisa. A partir da falta de um fora ou de um Outro, como criador ou princípio abstrato com o qual nos relacionamos, veremos como o mundo não tem mais sentido, mas, enquanto existimos, ele é sentido. Nenhum sentido a ser doado ou espalhado, mas temos que mudar a gramática desse sentido que não se exprime mais com o verbo “ter”, mas sim com o verbo “ser”. “Mudar o sentido do sentido”, com a passagem do verbo “ter” ao verbo “ser”, implica não apenas uma nova relação com o mundo, mas uma nova concepção da práxis, na qual é o agente da operação que muda e não a obra. É necessário um pensamento do mundo que, dessa forma, se torne inseparável da sua práxis, porque, desde sempre, exposto e ex-crito no mundo.</p> Spiga Deborah Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-11 2024-05-11 47 e02400172 e02400172 Transformação da filosofia educacional: uma avaliação da inovação na gestão do ensino superior no contexto do Big Data https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15080 <p>Com o rápido desenvolvimento da sociedade da informação moderna, o Big Data (BD) trouxe grande comodidade à vida dos residentes. No contexto do BD, a aplicação da tecnologia da informação em diversas áreas tornou-se uma tendência. Através da transformação da filosofia educacional, a Gestão do Ensino Superior também assumiu novas características e gerou novos rumos de desenvolvimento. Este artigo explora as deficiências e razões do trabalho tradicional de Gestão de Esino Superior, aponta problemas atuais e explica a necessidade de sua inovação. Também analisa as vantagens e o desenvolvimento da tecnologia BD no trabalho de gestão. Através das novas ideias, métodos e ferramentas trazidas pela tecnologia Big Data para a Gestão do Ensino Superior, foi demonstrado que a tecnologia BD apoiou o desenvolvimento de modalidades de ensino inovadoras, proporcionou um ambiente de aprendizagem positivo e reduziu os custos de gestão. Com base nas características do trabalho da Gestão e nas vantagens da tecnologia BD, foram realizadas pesquisas inovadoras para analisar a eficiência e o entusiasmo da aprendizagem dos alunos para ilustrar o efeito inovador desse trabalho. Os autres defendem que a tecnologia BD, incluindo Inteligência Artificial e gestão precisa e flexível, traz novas ideias, métodos e ferramentas para a GEstão, melhorando efetivamente a eficiência, aumentando a felicidade dos alunos e reduzindo os custos de gestão laboral. Ademais, apoiam o desenvolvimento de modelos de ensino inovadores, oferecem aos estudantes universitários um ambiente de aprendizagem positivo e reduzem os custos de gestão.</p> Zichen Xu Shi Cheng Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-05-01 2024-05-01 47 e02400162 e02400162 Mente, crenças e redes sociais na internet: uma perspectiva peirciana https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14449 <p>Mente é, para Peirce, um sistema de crenças que age para alcançar um determinado propósito. Não apenas Peirce atribui mente a instituições e grupos sociais, mas o desenvolvimento da mente depende da extensão dela além das mentes humanas individuais. Portanto, comunidades ou instituições sociais incorporam hábitos sociais e agem como mentes, com propósitos próprios, fixando crenças de dois tipos: crenças de importância vital e crenças teóricas, que têm relação com o conhecimento e a verdade. Redes sociais, na internet, podem ser vistas como uma complexa mente social composta por indivíduos e suas mídias digitais, as quais englobam <em>gadgets</em>, algoritmos e plataformas. Se as redes sociais na internet atuam de forma a atingir certas crenças, de que tipo elas são? São crenças de importância vital ou crenças teóricas que conduzem ao conhecimento e à verdade? Esses dois tipos de crenças são suficientes para entender os modos de ação das redes sociais na internet?</p> Priscila Monteiro Borges Tarcísio de Sá Cardoso Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-03-25 2024-03-25 47 e02400134 e02400134 Existem razões excludentes? Uma investigação sobre um terceiro tipo de razões excludentes https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14779 <p>Joseph Raz tornou-se bastante conhecido pelo conceito de razões excludentes, que ele aplicou na análise de uma série de conceitos práticos, como decisões, regras e obrigações. No entanto, a literatura especializada exibe um alto grau de ceticismo quanto à existência de razões excludentes, e até sobre a coerência do conceito. Ao longo de sua obra, Raz sempre focou em duas espécies de razões excludentes: as diretamente motivacionais e as evidenciais. Atribui-se a isso o fato de o conceito ter recebido tantas críticas. Neste artigo, dá-se destaque a uma outra categoria de razões excludentes, negligenciada por Raz: as razões que são excluídas por sua própria natureza. Argumenta-se aqui que essa categoria é capaz de mostrar, não apenas que o conceito não é vazio ou inconsistente, mas também que ele tem um papel importante a desempenhar na elucidação de um importante domínio da moralidade: o domínio das relações afetivas.</p> Andrea Faggion Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-03-26 2024-03-26 47 e02400133 e02400133 Comentário a “Símbolos, imagens, imaginação e memória: elementos para uma epistemologia jonasiana” https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15772 <p><strong>Referência do artigo comentado</strong>: DUARTE, Michelle Bobsin. Símbolos, imagens, imaginação e memória: elementos para uma epistemologia jonasiana. <strong>Trans/form/ação</strong>: Revista de Filosofia da Unesp, Marília, v. 47, n. 2 “Perspectivas femininas no pensamento filosófico”, e02400118, 2024. Disponível em: <a href="https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15185" target="_blank" rel="noopener">https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15185</a>.</p> Lilian S. Godoy Fonseca Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-03-26 2024-03-26 47 e02400146 e02400146 Apresentação ao Vol. 47, n. 1 https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15137 <p>Apresentamos o primeiro lote de textos na modalidade de publicação em fluxo contínuo. Esta é mais uma inovação da revista, parte das atividades comemorativas de seu jubileu de ouro. Com essa decisão, esperamos diminuir ainda mais o espaço de tempo entre a aprovação definitiva dos textos e sua publicação. <a href="https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15035" target="_blank" rel="noopener">Alves (2023)</a>, divulga um conjunto de ações concretizadas nos últimos dois biênios da revista, prestando contas ao nosso leitor e demais parceiros da Trans/form/Ação.</p> Marcos Antonio Alves Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-10-10 2023-10-10 47 e0240001 e0240001 Comentário a “O ser e o nada: ‘A temporalidade’. Um guia de viagem”: Sartre e Merleau-Ponty https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15792 <p><strong>Referência do artigo comentado</strong>: Carrasco, A. de O. T<em>. O ser e o </em>nada: “A temporalidade”. Um guia de viagem. <strong>Trans/Form/Ação</strong>: Revista de Filosofia da Unesp, v. 47, e02400131, 2024. Disponível em: <a href="https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14956" target="_blank" rel="noopener">https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14956</a>.</p> José Luiz B. Neves Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-01 2024-04-01 47 e02400149 e02400149 Comentário a “O ser e o nada: ‘A temporalidade’. Um guia de viagem”: para uma viagem insólita? https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15793 <p><strong>Referência do artigo comentado</strong>: Carrasco, A. de O. T<em>. O ser e o </em>nada: “A temporalidade”. Um guia de viagem. <strong>Trans/Form/Ação</strong>: Revista de Filosofia da Unesp, v. 47, e02400131, 2024. Disponível em: <a href="https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14956" target="_blank" rel="noopener">https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14956</a>.</p> Luciano Donizetti da Silva Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-01 2024-04-01 47 e02400150 e02400150 Comentário a “Assimetria entre verdade e falsidade e a fecundidade da falsidade” https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/15771 <p><strong>Referência do artigo comentado</strong>: BATTISTI, C. A. Assimetria entre verdade e falsidade e a fecundidade da falsidade. <strong>Trans/Form/Ação</strong>: Revista de Filosofia da Unesp, v. 47, n. 1, e0240074, 2024. Disponível em: <a href="https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14848" target="_blank" rel="noopener">https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14848</a>.</p> Claudemir Roque Tossato Copyright (c) 2024 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia da Unesp http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-03-26 2024-03-26 47 e02400145 e02400145