https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/issue/feed TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia 2023-01-10T15:16:52-03:00 Marcos Antonio Alves transformacao.marilia@unesp.br Open Journal Systems <p>É um periódico científico de publicação contínua de volumes anuais, vincluado ao Departamento de Filosofia e Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UNESP. Sua missão é publicar resultados de pesquisas consolidadas em filosofia e áreas correlatas, buscando contribuir com a socialização, discussão e desenvolvimento do conhecimento na área.</p> <p><strong>TRANS/FORM/AÇÃO</strong><br /><strong>Qualis/CAPES:</strong> A1<br /><strong>e-ISSN:</strong> 1980-539X<br /><strong>ISSN (impresso):</strong> 0101-3173<br /><strong>ISSN L:</strong> 0101-3173<br /><strong>Ano de fundação:</strong> 1974<br /><strong>Periodicidade:</strong> Trimestral (a partir de 2022 a revista pretende adotar o modo de publicação em fluxo contínuo)<br /><strong>Editor responsável:</strong> Marcos Antonio Alves<br /><strong>E-mail institucional:</strong> transformacao.marilia@unesp.br</p> <p><strong>Indexadores: </strong><br /><em><strong>Base de dados: </strong></em><a href="https://biblat.unam.mx/pt/revista/transformacao">Biblat</a> | <a href="https://www-periodicos-capes-gov-br.ez87.periodicos.capes.gov.br/index.php/acervo/lista-a-z-periodicos.html">CAPES</a> | CLASE | <a href="https://essentials.ebsco.com/search/eds/details/trans-form-a%C3%A7%C3%A3o?query=trans/form/a%C3%A7%C3%A3o&amp;requestCount=0&amp;db=edsdoj&amp;an=edsdoj.35791329887246fa9cfe437b5ae94989">EBSCO</a> | <a href="https://scholar.google.com.br/citations?user=QpIvv0kAAAAJ&amp;hl=pt-BR&amp;authuser=1">Google Scholar</a> | <a href="https://oasisbr.ibict.br/vufind/Search/Results?lookfor=TRANS%2FFORM%2FA%C3%87%C3%83O&amp;type=AllFields&amp;filter%5B%5D=network_name_str%3A%22Trans%2FForm%2FA%C3%A7%C3%A3o+-+Revista+de+Filosofia%22%20">Oasisbr</a> | <a href="https://www.scopus.com/sourceid/5600155298">Scopus</a> | <a href="https://mjl.clarivate.com/search-results?issn=0101-3173&amp;hide_exact_match_fl=true&amp;utm_source=mjl&amp;utm_medium=share-by-link&amp;utm_campaign=search-results-share-this-journal">Web of Science</a> | <a href="https://philindex.org/full-text-2/">The Philosopher’s</a> | <a href="https://www.scilit.net/journal/2441948">Scilit</a> <br /><em><strong>Diretórios:</strong></em> <a href="https://diadorim.ibict.br/handle/1/592">Diadorim</a> | <a href="https://doaj.org/toc/1980-539X?source=%7B%22query%22%3A%7B%22bool%22%3A%7B%22must%22%3A%5B%7B%22terms%22%3A%7B%22index.issn.exact%22%3A%5B%220101-3173%22%2C%221980-539X%22%5D%7D%7D%5D%7D%7D%2C%22size%22%3A100%2C%22sort%22%3A%5B%7B%22created_date%22%3A%7B%22order%22%3A%22desc%22%7D%7D%5D%2C%22_source%22%3A%7B%7D%2C%22track_total_hits%22%3Atrue%7D">DOAJ</a> | MLA<br /><em><strong>Índices e Portais:</strong></em> <a href="https://anpof.org/periodicos/transformacao-revista-de-filosofia--unesp-marilia">ANPOF</a> |<a href="https://www.base-search.net/Search/Results?lookfor=trans%2Fform%2Fa%C3%A7%C3%A3o&amp;name=&amp;oaboost=1&amp;newsearch=1&amp;refid=dcbasen"> BASE</a> |ERIHPLUS |<a href="https://www.latindex.org/latindex/ficha/18260">Latindex</a> | <a href="https://miar.ub.edu/issn/0101-3173">MIAR</a> | <a href="https://www.scielo.br/j/trans/">SciELO</a> | <a href="https://www.scimagojr.com/journalsearch.php?q=5600155298&amp;tip=sid&amp;clean=0">SJR</a> | <a href="https://portal.issn.org/resource/ISSN/1980-539X">ISSN</a> |<br /><em><strong>Redes Sociais Acadêmicas:</strong></em> <a href="https://unep.academia.edu/TrevistadefilosofiadaUnesp?from_navbar=true">Academia.edu </a>| <a href="https://latinrev.flacso.org.ar/revistas/transformacao-revista-filosofia-da-unesp">LatinRev</a> | ProQuest | <a href="https://www.redalyc.org/revista.oa?id=3842&amp;tipo=indicadores">Redalyc</a> | <a href="https://redib.org/Serials/Record/oai_revista5352-transforma%C3%A7%C3%A3o">REDIB</a> | <a href="https://philpapers.org/pub/4338">The PhilPapers Foundation</a></p> <p><strong>Licença:</strong></p> <p> <strong><img src="https://revistas.marilia.unesp.br/public/site/images/labeditorial/logo----creative-commons-attribution-license.jpg" alt="" width="88" height="32" /></strong></p> https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14073 Normas 2023-01-10T15:02:55-03:00 Equipe Editorial lab.editorial.unesp.marilia@gmail.com <p>Trans/Form/Ação publica textos originais na forma de artigos, além de entrevistas, traduções de ensaios filosóficos de reconhecida relevância e resenhas de obras filosóficas. O autor, ensaísta, resenhista ou tradutor que publicar na revista precisa aguardar dois anos, isto é, seis fascículos, para poder apresentar uma nova proposta.</p> 2023-01-09T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/12970 "O pensador e o pintor 2022-04-06T17:48:27-03:00 Tiago Nunes Soares tnschw@usp.br <p>Encontra-se, no título, a temática do artigo de Taminiaux: trata-se de uma abordagem sobre a relação entre filosofia e pintura, no pensamento de Merleau-Ponty. Ela desdobra-se em reflexões sobre seu projeto de superação das dicotomias clássicas sedimentadas na filosofia. O autor trata do tema a partir de três eixos, todos interligados ou entrecruzados, no interior da filosofia merleau-pontiana:<br />a percepção, o pensamento e a pintura. O artigo é uma oportunidade para entrar em contato com a filosofia de Merleau-Ponty, particularmente em seu diálogo com o mundo da pintura, através do entrelaçamento entre pensamento e percepção.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/12987 Crisis de los cuidados y crisis de la democracia 2022-03-16T17:01:21-03:00 Camilo Sembler camilo.sembler@gmail.com <p>Este artículo discute el significado político de la crisis de los cuidados en su relación con la crisis de la democracia. Desde las éticas del cuidado y la teoría crítica se caracteriza, en primer lugar, a los cuidados como un tipo específico de práctica social y política. En segundo lugar, se examinan los problemas éticos y políticos derivados de una organización social de los cuidados según principios de mercado. Se concluye abordando la pregunta por una solución democrática a la actual crisis de los cuidados.&nbsp;</p> 2023-01-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/12956 Equilíbrio reflexivo e prudência: 2022-05-30T23:06:27-03:00 Denis Coitinho deniscoitinhosilveira@gmail.com <p>O objetivo central deste artigo é propor a inclusão da expertise de um agente prudente no procedimento do equilíbrio reflexivo, adicionando uma disposição para identificar crenças razoáveis que seriam vistas como o ponto de partida do método, o que poderia evitar as críticas de conservadorismo e subjetivismo. Para tanto, inicio analisando as características centrais do método e suas principais fraquezas. Após, investigo as características da prudência como uma disposição para identificar os meios adequados para realizar um fim bom. De posse disto, aplico a prudência no procedimento, de forma que ele será executado por um agente que bem delibera, identificando crenças morais razoáveis e, depois, deve-se justificá-las a partir de sua coerência com os princípios éticos e com as crenças factuais de teorias científicas relevantes. Por fim, defendo que este processo deliberativo é consistente com o pluralismo ético e com a democracia, podendo ser tomado como um tipo de conhecimento moral.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14061 Comentário a “Equilíbrio Reflexivo e Prudência: um processo de deliberação moral” 2023-01-09T15:29:12-03:00 Lucas M. Dalsotto lmdalsotto@hotmail.com <p>Referência do artigo comentado: COITINHO, Denis. Equilíbrio reflexivo e prudência: um processo de deliberação moral. Trans/Form/Ação: Revista de Filosofia da Unesp. v. 46, n. 1, p. 59-80, 2023.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14062 Comentário a “Equilíbrio Reflexivo e Prudência: um processo de deliberação moral” 2023-01-09T15:59:18-03:00 Marciano Adilio Spica marciano.spica@gmail.com <p>Referência do artigo comentado: COITINHO, Denis. Equilíbrio reflexivo e prudência: um processo de deliberação moral. Trans/Form/Ação: Revista de Filosofia da Unesp. v. 46, n. 1, p. 59-80, 2023.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13019 Representação, soberania e governo em Thomas Hobbes 2022-06-12T21:54:24-03:00 Francisco Luciano Teixeira Filho luciano.teixeira@uece.br <p>O texto trata do conceito de representação em sua relação com o conceito e soberania, em Thomas Hobbes (1588-1679). A obra estudada é o Leviatã, de 1651. O estudo apresenta que a soberania se funda através do ato jurídico originário, que estabelece uma pessoa artificial para representar a todos. Essa coisa artificial é o Estado. O Estado, porém, é diferente do seu governo, embora sejam funcionalmente a mesma coisa.</p> 2023-01-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14063 Comentário a “Representação, soberania e governo em Thomas Hobbes” 2023-01-09T16:24:19-03:00 Anderson Alves Esteves andersonesteves@ifsp.edu.br <p>Referência do artigo comentado: TEIXEIRA FILHO, Francisco Luciano. Representação, soberania e governo em Thomas Hobbes. Trans/Form/Ação: Revista de Filosofia da Unesp. v. 46, n. 1, p. 93-110, 2023.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14064 Comentário a "Representação, soberania e governo em Thomas Hobbes”: 2023-01-09T16:37:57-03:00 Rita Helena Sousa Ferreira Gomes ritahelenagomes@gmail.com <p>Referência do artigo comentado: TEIXEIRA FILHO, Francisco Luciano. Representação, soberania e governo em Thomas Hobbes. Trans/Form/Ação: Revista de Filosofia da Unesp. v. 46, n. 1, p. 93-110, 2023.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13307 Translating Chuang Tzu into world literature: 2022-06-09T16:05:14-03:00 Jiaxin Lin JuWaking@126.com Xinbing Yu yuxinbing@gdufe.edu.cn Song Liu songjay@163.com Mingqiao Luo Ll1433153671@126.com Younkon Chou chou_kon@e.ntu.edu.sg <p>Chuang Tzu (《庄子》), as a traditional Chinese canon, has been translated into English for more than 100 years since 1881, successfully carving a niche in the realm of world literature, which has become an earth-shattering cultural event in the academia of overseas sinology and world literature. According to statistics, the book has been translated into 12 full translations, 50 selected translations, and two adaptations. The metamorphosis process of “full translation – deep translation – diversified retranslation”, has passed through four stages, namely religious, literary, philosophical, and diversified reinterpretation phases. Thus, from the perspective of Damrosch’s view of world literature, this paper summarizes the characteristics of different stages based on different spatial-temporal contexts. In the light of translation form, translational outcomes, and translation mode of reading, the path in which Chuang Tzu entered into the field of world literature is specified for the operational mechanism of promoting national literature to world literature, which is dedicated to the enlightenment for practical translation work of introducing Chinese literature abroad. Meanwhile, by reviewing the history of English translations of Chuang Tzu, this paper sums up the deficiencies of current translation activities and research activities, with an attempt to provide constructive suggestions as well as to point out the direction for the future<br />development of overseas studies of Chuang Tzu.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14065 Comment on “Translating Chuang Tzu into world literature: text and context” 2023-01-10T12:58:01-03:00 Yuemeng Ge gyuemeng@126.com <p>Commented Article: LIN, Jiaxin; YU, Xinbing; LIU, Song; LUO, Mingqiao; CHOU, Younkon. Translating Chuang Tzu into world literature: text and context. Trans/Form/Ação: Unesp journal of philosophy, v. 46, n. 1, p. 121-142, 2023.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13651 Maquiavel e a origem das comunidades políticas 2022-08-17T14:56:01-03:00 Luís Falcâo luis.alves.falcao@gmail.com <p>É possível encontrar em Maquiavel uma expressão significativa do consentimento originário para a explicação da origem das comunidades políticas. Investigam-se, assim, as possíveis recepções desse tema a partir do pensamento político romano. Com Lucrécio e Cícero, torna-se possível compreender os termos do pacto, qual sejam, o primitivismo no contraste entre homens e bestas, o medo e a segurança comuns como elementos fundantes da comunidade política e a liderança de um homem de destaque. Para isso, lateralmente, debatem-se as premissas aristotélicas da natureza política dos homens e apresentam-se exemplos do contexto de Maquiavel, a fim de corroborar a disponibilidade da linguagem do consentimento originário em acordo com o aristotelismo. O artigo conclui que Maquiavel não possui uma teoria substancial da origem dos agremiados humanos, porque o objeto da política, dentro da maneira pela qual ele a entende, existe apenas mediante a fundação das cidades historicamente determinadas. O emprego, então, de uma linguagem contratualista em acordo com a aristotélica estava dentro de um contexto retórico de despertar a atenção de seu leitor.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14067 Comentário a “Maquiavel e a Origem das Sociedades Políticas”: Maquiavel e o Realismo Político 2023-01-10T13:52:38-03:00 Helton Adverse heltonadverse@hotmail.com <p>Referência do artigo comentado: FALCÃO, Luís. Maquiavel e a Origem das Sociedades Políticas. Trans/Form/Ação: Revista de Filosofia da Unesp, v. 46, n. 1, p. 149-170, 2023.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13219 Totalidade e finitude: sobre a singularização em Sartre 2022-05-21T15:34:41-03:00 Marcelo Prates marceloprates1@gmail.com <p>Este artigo tem por objetivo analisar o problema da totalidade em Sartre em sua relação com a finitude. Iniciamos pelo problema da <em>solidão ontológica</em> pelo qual analisamos o Ser enquanto exterioridade de indiferença e o acontecimento do para-si ou ato ontológico. Postulando este acontecimento como processo de singularização e a própria vida do indivíduo, mostramos como a finitude afere à totalidade enquanto totalização e singularização. Imagem esta condensada pelo universal singular, a finitude, então, não é tomada como uma totalidade isolada, mas passa a ser compreendida por sua abertura do humano na singularização de uma vida.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14069 Comentário a “Totalidade e finitude: sobre a singularização em Sartre”: morte, vida e totalidade: Sartre vence pela finitude? 2023-01-10T14:09:22-03:00 Luciano Donizetti da Silva donizetti.silva@hotmail.com <p>Referência do artigo comentado: PRATES, Marcelo. Totalidade e finitude: sobre a singularização em Sartre. Trans/Form/Ação: Revista de Filosofia da Unesp. v. 46, n. 1, p. 177-208, 2023.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13186 Esbozos para la creación de un concepto de “práctica filosófica” 2022-05-26T14:33:29-03:00 Moscoso Flores Pedro Eduardo pedro.moscoso@uai.cl <p style="font-weight: 400;">Este texto busca introduzir uma questão sobre o lugar que a filosofia ocupa no cenário contemporâneo, abrindo, assim, a questão de saber se ela é ou não capaz de responder às demandas e exigências impostas pelo presente. Nessa medida propomos repensar a noção de filosofia a partir de um quadro que resgate suas dimensões prática, material e afetiva, tornando visível o impulso transformador que ela pode ter em relação aos significados usuais associados à produção disciplinar, atrelado à tradicional divisão entre teoria e prática, abrindo-o assim para uma dimensão que reconhece o papel implicativo -criativo e interventivo- que a filosofia tem na produção da realidade.</p> <p style="font-weight: 400;">&nbsp;</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14070 Comentario de “Esbozos para la creación de un concepto de “práctica filosófica”” 2023-01-10T14:22:49-03:00 Patricio Landaeta patricio.landaeta@upla.cl <p>Referencia del artículo comentado: MOSCOSO-FLORES, Pedro E. Esbozos para la creación de un concepto de “práctica filosófica”. Trans/Form/Ação: Revista de Filosofia da Unesp. v. 46, n. 1, p. 213-230, 2023.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14071 Squabbles between the Jesuits and the Franciscans: 2023-01-10T14:30:38-03:00 Xizi Chen researcher_xzc@163.com <p>Throughout the history of Christianity in Japan, tension and conflict have persisted between the Jesuits and Franciscans. At face value, this appears to be due to their different readings of the policies of Rome and varied approaches to apostolic work. However, upon closer examination, politics also played an important role. Behind the two orders were two rival maritime powers – Portugal and Spain, whose fellow countrymen’s feelings of national sentiment may occasionally have outweighed their interests in the mission in Japan. In an attempt to keep the peace, Rome had issued the Patronatus missionum. However, it intensified the conflict and rendered the situation into an irreparable state of disarray. This eventually caused heavy losses to the whole mission. For a better understanding, in this thesis I summarize the following arguments between the Jesuits and Franciscans. The first, and most salient, argument pertains to commerce; the second pertains to the separation of parishes; the third to their apostolic approaches, and the final argument is on their practical policies. It is also worth mentioning that the relationship between the Jesuits and the Franciscans was not eased by the 26-person Nagasaki martyrdom incident. Indeed, this was a heavy loss.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13298 Orientation and reflection: 2022-07-05T00:21:22-03:00 Xingjun Chen nancy_618618@163.com <p>This paper uses the research method of historical context to place Sontag’s “New Sensibility” in the historical context in which “the demise of art” was prevalent, and puts forward that Sontag’s “New Sensibility” is the sensibility in line with the needs of that time by denying “the demise of art” and affirming the dominant position of visual art. Its definition can be summarized as an ability of aesthetic perception of arts. It appeals to pure sensibility to appreciate visual arts, and devotes to changing modern people’s consciousness and sensibility. At the same time, by comparing “New Sensibility” with “Camp Sensibility”, proposed by Sontag, and “new sensibility”, proposed by Marcuse, this paper points out that the main connotation of “New Sensibility” is to emphasize form,<br />neglect content and suspend morality. However, “New Sensibility”, which overemphasizes perceptual experience and ignores moral dimension, has its inherent defects, which cannot be ignored. Therefore, this paper finally takes Sontag’s critical practice of Riefenstahl as an example to specifically explain the defects of “New Sensibility” and reflect on it. More than half a century after Sontag’s “New Criticism”, the orientation and reflection of it is conducive to re-facing the significance and value of it under the background of further development of science and technology and more diversified artistic styles at contemporary era.</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/14060 Apresentação 2023-01-09T14:18:40-03:00 Marcos Antonio Alves marcos.a.alves@unesp.br <p>Apresentação</p> 2023-01-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13138 A longa trajet´ória de um intelectual brasileiro: 2022-03-22T11:00:15-03:00 Rodrigo Jurucê Mattos Gonçalves jurucemattos@gmail.com <p>Este texto apresenta uma síntese da trajetória do filósofo e historiador das ideias Antonio Paim, seguida da entrevista realizada com ele. Na entrevista, o filósofo relata seu longo itinerário intelectual, que passou pelo marxismo e pelo kantismo, e sua carreira política, pelo comunismo, na juventude, e pelo liberalismo, na maturidade. Paim conheceu o que é ser dissidência, quando foi membro do Partido Comunista e acabou sendo um preso político, e o que é ser ligado ao establishment, quando foi assessor da presidência do Partido da Frente Liberal. A longa trajetória intelectual de Paim, com suas mudanças e intensidades, se refere à própria História do Brasil republicano, com suas reviravoltas e passagens dramáticas. Sendo um relato inédito, a entrevista ajuda a compreender a cultura intelectual brasileira da segunda metade do século XX e como se articulam os intelectuais em relação ao poder.</p> 2023-01-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2023 TRANS/FORM/AÇÃO: Revista de Filosofia