Coletivo Universidade Popular

práxis em disputa junto ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

Autores

  • Ana Paula Ferreira de Melo Escola Nativa

DOI:

https://doi.org/10.36311/2675-3871.2021.v2n5.p223-247

Palavras-chave:

Universidade Popular (UP), MST, educação popular, organização, militância

Resumo

O propósito deste artigo será compreender a diversidade de dois grupos do coletivo Universidade Popular (UP), atuante entre 2007 e 2015 no estado de São Paulo. Para tanto, nos utilizamos de arquivos, fotos, entrevistas e textos acadêmicos escritos pelos próprios integrantes. Focalizamos as divergentes orientações de militância dos jovens universitários do coletivo UP, com metodologias educacionais distintas: de um lado, a educação popular freireana, de outro orientações marxistas não-freireanas. As divergências em termos de metodologia educacional vinculam-se ainda às análises concretas da realidade dos anos 2010-2011, sobretudo no que diz respeito ao governo do Partido dos Trabalhadores (PT) e às estratégias de luta do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2021-08-28