Marx e o estudo da questão racial

elementos para uma análise desde a América Latina

Autores

  • Cristiane Luiza Sabino de Souza Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

racismo, superexploração, luta de classes, Karl Marx, materialismo histórico dialético

Resumo

Neste artigo aponto alguns elementos sobre importância das elaborações teóricas de Karl Marx e Método do Materialismo Histórico Dialético (MHD), para o estudo da questão racial. Para tanto situo a batalha das ideias em torno dos debates acerca do racismo, evidenciando que a disputa vai além de epistemologias ou meras narrativas, são disputas políticas, de projetos societários. Também foi necessário “limpar o terreno” em relação a Marx e ao marxismo, de modo a deixar explícita a ordem das dificuldades na apropriação do MHD em relação aos estudos sobre o racismo. Por fim, tendo em vista a máxima leninista da “análise concreta da realidade concreta”, faço algumas mediações sobre os caminhos necessários para a apreensão da complexidade do racismo nas relações sociais sob o capitalismo dependente latino-americano, buscando explicitar a relação inseparável entre racismo e superexploração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiane Luiza Sabino de Souza, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em serviço social pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK (2012), mestrado em Política Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (2016) e doutorado em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (2019). Atualmente é membro de grupo de pesquisa do Instituto de Estudos Latino-americanos (IELA/UFSC) e professora de carreira do magistério superior da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Serviço Social, atuando principalmente nos seguintes temas: América Latina, dependência, superexploração, questão agrária e questão racial. | crisabino1@gmail.com

Downloads

Publicado

2021-03-27