Há tempo para o tempo necessário antes do fim?

sobre a possibilidade de um processo político-social revolucionário

Autores

  • Iael de Souza Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.36311/2675-3871.2020.v1n03.p65-87

Palavras-chave:

organização, agitação, propaganda

Resumo

A pandemia da SARS-COV-2 escancarou as desigualdades sociais, de classe, de sexo, de raça, de etnia, colocou em evidência a autodestruição do planeta e de todas as formas de vida e fez o sistema capital expor toda a sua perversidade perante o agravamento da barbárie social, tratando a vida humana com indiferença e como sendo descartável. Mas o que poderia ter sido o mote para a erupção de uma situação revolucionária se perdeu pela ausência de uma direção, projeto e luta político-social revolucionária (política social radical), expondo a urgência de retomada do trabalho de base junto às massas e aos subalternos para que os momentos de crise possam ser aproveitados para a elevação da consciência das massas e transformação substancial das lutas político-sociais. É sobre essa necessidade mais do que premente deste trabalho de base que esse artigo aborda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iael de Souza, Universidade Federal do Piauí

Professora do departamento de Educação do campus de Picos da UFPI. Áreas de interesse e atuação: Antropologia Sociocultural; Educação; Trabalho e Sociedade; Metamorfoses no mundo do trabalho; Capital, Trabalho e Sociedade; Sociologia do Trabalho; Teoria Política; Estado e luta de classes.

Downloads

Publicado

2020-10-21