O desencantamento do mundo e o processo de coisificação do homem na visão de adorno e Horkheimer: a negação da filosofia metafísica em Aristóteles e a desumanização do homem

  • Ricardo Francelino da Silva Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) – UNESP/campus de Marília
  • Alonso Bezerra de Carvalho Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) – UNESP/campus de Marília
Palavras-chave: coisificação do homem, Adorno e Horkheimer, desconstrução da metafísica, processo de esclarecimento

Resumo

Resumo: o presente trabalho objetiva tecer algumas considerações no intuito de repensar o processo de coisificação do homem iniciado na época moderna e suas ressonâncias para educação, processo que buscou descreditar a filosofia metafísica e arrolar no campo das interpretações míticas qualquer explicação da realidade que não legitimasse os pressupostos do domínio da técnica do método positivista moderno.  Adorno e Horkheimer em “A Dialética do Esclarecimento” buscaram percorrer esse percurso e expuseram os resultados da barbárie do processo. O método científico moderno e os pressupostos positivistas são infalíveis? Propomo-nos a dialogar com tais temáticas na intenção de resgatar as críticas desses pensadores sobre o processo de organização da sociedade moderna e seus valores, que possibilitaram um momento histórico de desumanização do homem em detrimento da cobiça, da ganância e do poder. A educação nesse contexto foi direcionada para atender aos interesses dos gestores do imaginário social, no intuito de reforçar os pressupostos de verdade infalível que legitimaram os discursos  totalizantes. Após resgatar a crítica dos autores, iremos avançar um pouco para a pós-modernidade e discutir as ressonâncias de tais pressupostos no paradigma atual, que reforçam a crítica tecida por Adorno e Horkheimer e demonstram que a infalibilidade das ciências carece, ela própria, de sustentabilidade.    Nesse percurso buscaremos retratar alguns conceitos sobre esse processo e as consequências no modo como operamos o conhecimento no contemporâneo.

Recebido: 23/03/2019

Aceito: 01/05/2019

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Francelino da Silva, Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) – UNESP/campus de Marília

Doutorando em Educação - UNESP/Marília, Mestre em Psicologia pela UNESP/Assis (2017), Licenciado em História (2008) e Pedagogia (2013) pela Universidade Estadual Paulista UNESP/Assis; Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão de Educação a Distância pela Universidade Federal Fluminense UFF/Niterói (2013). Membro GEPEDEME - Grupo de Estudos e Pesquisas em Desenvolvimento Moral e Educação e do GEPEES - Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Ética e Sociedade, da UNESP de Assis. Tem experiência nas áreas de História, Filosofia e Sociologia, como professor do Ensino Médio e Técnico. Pesquisa temas em educação e psicologia, com ênfase nos relacionamentos interpessoais no contexto educacional.

Alonso Bezerra de Carvalho, Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) – UNESP/campus de Marília

Livre-Docente pela Universidade Estadual Paulista (UNESP/Assis). Professor Doutor – FFC e PPGE da UNESP/Marília.

Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos de Pesquisa