A interdisciplinaridade da retórica e sua influência na música colonial Brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2021.v44n4.13.p157

Palavras-chave:

Retórica, Filosofia e Hermenêutica, Música Colonial Brasileira, Compositores Brasileiros

Resumo

Essencial para a produção de determinadas músicas do final do século XVI ao começo do século XIX, a retórica se mostra como componente fundamental para que sua utilização, relacionado à gramatica, bem como sua adequação nas estruturas musicais, fosse compreendida e clarificada no discurso musical. Tal processo ocorreu através de uma sistematização e teorização aprimorada por diversos tratadistas da retórica musical, cujo postulado se embasava nos eminentes mestres da Retórica Clássica, Aristóteles, Cícero e Quintiliano, estabelecendo, assim, uma nomenclatura conhecida como Musica Poetica. Resultante dessa metodização, vários tratados destacavam os meios pelos quais a música pudesse ser elaborada num discurso organizado e ordenado por elementos retóricos de modo a mover os afetos do ouvinte. Nesse sentido, tanto a área da musicologia, performance e teoria/análise nos últimos 50 anos, vem demostrando interesse sobre o tema, desenvolvendo inúmeras pesquisas mediante análise retórico-musical, objetivadas em esclarecer a relação entre música e afeto. Por esse motivo, esse artigo apresenta o diálogo da retórica com as outras áreas do conhecimento humano, a saber, música, filosofia e hermenêutica, por exemplo, além da sua influência e emprego na música colonial brasileira por alguns compositores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. Tradução de A. Bosi. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. Tradução de A. Bosi. Revisão de I. C. Benedetti. Edição Revisada e Ampliada. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

AFFONSO, R. C. Um Estudo sobre a Relação Texto-Música: os Ofícios Fúnebres de José Maurício Nunes Garcia. 2005. 156 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Programa de Pós-Graduação em Música, Centro de Letras e Artes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, 2005.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução de L. Vallandro e G. Bornheim. São Paulo: Abril Cultural, 1984 (Coleção Os Pensadores v. IV).

ARISTÓTELES. Retórica. Prefácio e Introdução de M. A. Júnior, Tradução e Notas de M. A. Júnior, P. F. Alberto e A. N. Pena. 2. ed. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2005.

ARISTÓTELES. Arte Retórica e Arte Poética. Tradução de A. P. Carvalho. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, s/d.

ASSUMPÇÃO, S. E. M. Ascendência Retórica das Formas Musicais. 2007. 141 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Programa de Pós-Graduação em Música, Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2007.

BARTEL, D. Musica Poetica: Musical-Rhetorical Figures in German Baroque Music. Lincoln and London: University of Nebraska Press, 1997.

BARTHES, R. Investigaciones retóricas I: La antigua retórica (1970). Tradução de B. Dorriots. Barcelona: Ediciones Buenos Aries, 1982 (Serie Comunicaciones).

BERISTÁIN, H. Diccionário de Retórica y Poética. 7. ed. México: Universidade Nacional Autônoma do México; Porrua, 1995.

BLUTEAU, R. Vocabulario Portuguez e Latino (v.7-letras Q-S). Lisboa: Officina de Pascoal da Sylva, Impressor de Sua Magestade, 1720.

BUELOW, G. Rhetoric and Music. In: SADIE, S.; TYRRELL, J. (ed.). The new grove dictionary of music and musicians. New York: Oxford University Press, 2001. v. 21, p. 260-275.

CÍCERO, M. T. De inventione: De optimo genere oratorum topica. Tradução de H. M. Hubbell, Loeb Classical Library, Harvard University Press, 1960.

CÍCERO, M. T. De Oratore. 4. ed. Cambridge: Harvard University Press, 1967.

CÍCERO, M. T. Retórica a Herênio. Tradução e Introdução de A. P. C. Faria e A. Seabra. São Paulo: Hedra, 2005. (Autoria atribuída a Cícero).

COSTA, R. B. O Baixo contínuo no "officio de defuntos" de Lobo de Mesquita. 2006. 172 f. (Dissertação em Música) – Programa de Pós-Graduação da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Belo Horizonte, 2006.

DOTTORI, M. Ut Rhetorica Musica: análise do moteto O Vos Omnes a dois coros, de Manoel Dias de Oliveira. Revista Música, São Paulo, v. 3, n. 1, p. 53-69, maio 1992.

DUPRAT, R. et al. A Arte Explicada de Contraponto de André da Silva Gomes. São Paulo: Arte & Ciência, 1998.

FAGERLANDE, M. O Método de Pianoforte de José Maurício Nunes Garcia. 1993. 218 f. Dissertação (Mestrado em Musicologia) – Conservatório Brasileiro de Música, Rio de Janeiro, 1993.

FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 3. ed. Curitiba: Positivo, 2004.

GADAMER, H. G. Verdad y Método II. Salamanca: Sígueme 1992.

HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. Tradução de M. S. Cavalcante Schubak. Petrópolis: Vozes, 2005.

HOUAISS, A. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário Básico de Filosofia. 3. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

LANGE, F. C. História da Música na Capitania Geral das Minas Gerais: Vila do Serro do Frio e Arraial do Tejuco. v. VIII. Belo Horizonte: Conselho Estadual de Cultura de Minas Gerais,. 1983.

LAUSBERG H. Elementos de Retórica Literária. Tradução, prefácio e aditamentos de R. M. Rosaldo Fernandes. 5. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbernkian, 2004.

LOPES, R. A tensão mythos-logos em Platão. 2014. 206 f. Tese (Doutorado em Letras, Área de Poética e Hermenêutica) – Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Coimbra, 2014.

LÓPEZ CANO, R. Música y Retórica en el Barroco. v.1-2. México, D.F: Gráfica da Universidade Nacional Autônoma do México, 2000.

LUCAS, M. I. Material didático da disciplina: CMU 5942 – Introdução à Retórica da Música Setecentista, sob a responsabilidade da Prof.ª Dr.ª M. I. Lucas. Programa de Pós-Graduação em Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2010.

MARCONDES, D. Iniciação à História da Filosofia: Dos pré-socráticos até Wittgenstein. 6. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

MATTHESON, J. Der Vollkommene Capellmeister. Fac-simile do original de 1739 (Hamburg: Crsitian Herold). Kassel: Basel: Bärenreiter, 1954.

MATTOS, C. P. José Maurício Nunes Garcia: Biografia. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 1997.

MEYER, M. A Retórica. Tradução de M. N. Peres. São Paulo: Ática, 2007.

MORETZSOHN, J. C. R. As Missas de J. J. Emerico Lobo de Mesquita: um estudo estilístico. 2008. 651f. Tese (Doutorado em Música) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, Rio de janeiro, 2008.

MURPHY, J. J. Sinopsis Historica de la Retórica Clásica. Madrid: Gredos, 1989.

OLIVEIRA, K. B. A interpretação vocal na Missa em Mi bemol de José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita: por uma interpretação historicamente fundamentada, focalizando o solo de soprano quoniam. 2011. 346 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Programa de Pós-Graduação em Música, Centro de Letras e Artes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, 2011.

PAIXÃO, A. M. M. M. Retórica e Técnicas de Escrita Literária e Musical em Portugal entre os séculos XVII-XIX. 2008. 390 f, v. 1. Tese (Doutorado em Literatura Comparada) – Programa em Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em Co-Tutela na Univerisade de Nice Sophia Antipolis (França), Lisboa e Nice, 2008.

PEREIRA, M. B. Retórica, Hermenêutica e Filosofia. Revista Filosófica de Coimbra, v. 3, n. 5, p. 5-70, mar. 1994.

PERELMAN, C. Tratado de Argumentação: A Nova Retórica. Tradução de M. E. A. Prado Galvão. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PERSONE, P. As Obras 'Non Mesurés' para Cravo, Explicadas Segundo as Leis da Retórica. 1996. 160 f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Instituto de Artes, IA, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, 1996.

PLEBE, A. Breve História da Retórica Antiga. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária/ EPU, 1978.

QUINTILIANO, M. F. Institutione Oratoria: libri duodecim, cum notis et animadversionibus virorum doctorum. Edição de P. Burmann, revisão e publicação de P. Burmannum, L. Batavorum, apud J. Vivie. Leiden, 1720 [1416].

QUINTILIANO, M. F; HILD, J.A. Instituitione Oratoria: Libri decimus. Paris: C. Klincksieck, 1885 [1416].

REBOUL, O. Introdução à Retórica. Tradução de I. C. Benedetti. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

REZENDE, A. M. Rompendo o Silêncio: a construção do discurso oratório em Quintiliano. 2009. 280 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Belo Horizonte, 2009.

RICCIARDI, R. R. Manuel Dias de Oliveira: um compositor brasileiro dos tempos coloniais - partituras e documentos. 2000. 142 f + anexos. Tese (Doutorado em Artes) – Pós-Graduação em Música, Escola de Comunicações e Artes, ECA, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, 2000.

SCATOLIN, A. C. Do orador 1.123-159. Nuntius Antiquus, v. 12, n.2, p. 264-287, jun./dez. 2017.

SOARES, E. A. A utilização de elementos e figuras de retórica nos Ofertórios de André da Silva Gomes. 2012. 461 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Pós-Graduação em Música, Escola de Comunicações e Artes, ECA, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, 2012.

SOARES, E. A. O Emprego da Retórica na Música Colonial Brasileira. 2017. 533f. Tese (Doutorado em Música) – Pós-Graduação em Música, Escola de Comunicações e Artes, ECA, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, 2017.

SOARES, E. A. A retórica em quatro compositores da música colonial brasileira: Manuel Dias de Oliveira, José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita, André da Silva Gomes e José Maurício Nunes Garcia. Per Musi, v. 39, n. 2, p. 1-31, ago. 2019.

SOARES, E. A; MACHADO NETO, D. Exemplos de Figuras Retóricas de Interrupção e Silêncio em José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE MÚSICA NA AMAZÔNIA, 4., 2015, Porto Velho. Anais […] Boa Vista: Editora da UFRR, 2015, p. 363-375.

SOARES, E. A; NOVAES, R; MACHADO NETO, D. Retórica na música colonial brasileira: o uso da anaphora em André da Silva Gomes. In: Encontro de musicologia de Ribeirão Preto, 4., 2012, Ribeirão Preto. Anais […] Ribeirão Preto: Laboratório de Teoria e Análise Musical, 2012a, p. 301-306.

SOARES, E. A; NOVAES, R; MACHADO NETO, D. Figuras Retóricas no Ofertório da Missa de Quarta-feira de Cinzas de André da Silva Gomes. Música Hodie, v. 12, n. 2, p. 71-86, jun./dez. 2012b.

VIDAL, J. V. A Idéia do ‘Clássico’ no classicismo: Retórica e Música no Final do Século XVIII. 2002.171 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Escola de Música: Centro de Letras e Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Rio de Janeiro, 2002.

Recebido: 16/4/2019 - Aceito: 05/8/2020

Downloads

Publicado

2021-10-22 — Atualizado em 2021-10-22

Como Citar

Soares, E. A., & Ricciardi, R. R. (2021). A interdisciplinaridade da retórica e sua influência na música colonial Brasileira. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 44(4), 157–192. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2021.v44n4.13.p157

Edição

Seção

Artigos e Comentários