Nietzsche e a escrita artística do pensamento

Autores

  • Renarde Freire Nobre

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2018.v41n3.04.p57

Palavras-chave:

poesia, filosofia, Nietzsche, aforismos

Resumo

O artigo inicia-se com uma distinção entre poesia e filosofia, a partir do destaque à relação especial que a primeira mantém com a palavra escrita. O enfoque desloca-se para o pensamento de Friedrich Nietzsche (1844-1900), argumentado haver em seus escritos a construção de uma filosofia nada convencional, em parte por conta do estatuto das ideias expostas, mas também e sobremaneira pela relação íntima com a arte poética, o que se faz evidente pela estilização do pensamento. A hipótese principal é de que não se pode bem compreender a transgressão semântica operada por Nietzsche – sua famosa transvaloração dos valores – sem que se considere a transgressão estilística. Por fim, a linguagem aforismática utilizado por Nietzsche é apresentada como a sua “arte do estilo” por excelência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renarde Freire Nobre

Professor do Departamento de Sociologia da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte,
MG – Brasil. E-mail: fnrenarde@gmail.com
Autor do livro Perspectivas da razão: Nietzsche, Weber e o conhecimento (Editora Argumentum) e
organizador dos livros: Lévi-Strauss - leituras brasileiras e O poder no pensamento social: dissonâncias
(ambos pela Editora UFMG). Coordena o projeto de extensão Retratos de artistas - conversas
sobre arte e pensamento.

Publicado

2018-10-31

Como Citar

Nobre, R. F. (2018). Nietzsche e a escrita artística do pensamento. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 41(3), 57–78. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2018.v41n3.04.p57

Edição

Seção

Artigos e Comentários