A moral nas técnicas de memória: Nietzsche e os comentários sobre a mnemotécnica de Tomás de Aquino

Autores

  • Adilson Felício Feiler FAJE

Palavras-chave:

Memória, Técnica, Moral, Nietzsche, Tomás de Aquino

Resumo

A investigação apresenta uma hermenêutica da memória nos textos da maturidade de Nietzsche, à luz das contribuições de Aristóteles e Tomás de Aquino. Na Primeira Dissertação de Para a genealogia da moral, Nietzsche introduz a influência que a memória exerce sobre a capacidade de reflexão e de ação. O procedimento mnemotécnico que o filósofo alemão analisa é o comentário de Tomás de Aquino sobre a reminiscência de Aristóteles. O aquinate identifica a ordenação daquilo que se quer, o investimento do espírito, a meditação frequente e a tomada da cadeia de pendências como pontos fundamentais para a atividade da memória. E, nesses pontos, Nietzsche concebe a moral como componente-chave no processo de memorização. Serão analisadas algumas aproximações e distanciamentos entre as teses nietzschiana e tomista, e em que medida a moral opera, no sentido de detectar a atividade da memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adilson Felício Feiler, FAJE

Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE), Belo Horizonte, MG – Brasil. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-7352-927X.

Referências

AQUINAS, St. Tomas. Commentaries on Aristotle’s ‘On sense and what is sensed’ and ‘On memory and recollection’. Trans. Kevin White and Edward M. Marcierowski. Washington DC: The Catholic University of America Press, 2005.

ARISTOTLE. Works of Aristotle. Trans. J. A. Smith and W. D. Ross. London: Oxford at the Clarendon Press, 1907.

BARRENECHEA, Miguel Angel; DIAS, Mario José. Entre a memória e a política: Nietzsche e Arendt na atualidade. Cadernos Nietzsche, São Paulo, n. 33, p. 301-326, 2013.

BINGHAM, Charles. Montaigne, Nietzsche and the Mnemotechnics of Student Agency. Educational Philosophy and Theory, v. 39, 2007.

CRAWFORD, Claudia. Nietzsche’s mnemotechnic’s, the theory of resentment, and Freuds topografies of the psychical apparatus. Nietzsche-Studien, De Gruyter, Band 14, p. 01, 1985.

FREZZATTI, Wilson. Nascimento e meandros do Lete em Nietzsche. Cadernos Nietzsche, Guarulhos/Porto Seguro, v. 43, n. 01, p. 55-82, 2022.

GIACÓIA JÚNIOR, Oswaldo. Nietzsche. O humano como memória e como promessa. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

GIORDANO BRUNO. Mundo, Magia, Memoria. Trad. Ignacio Gómez de Liaño. Editorial Biblioteca Nueva: Madrid, 2007.

LEITER, Brian. Beyond Selflessness: Reading Nietzsche’s Genealogy. Notre Dame Philosophical Reviews, University of Notre Dame, Austin, p. 08, 2008.

MICHTA, Kamil. A cultural of language, a language of cultural: Nietzsche’s mnemotechnics in J. M. Coetzee’s waiting for the barbarians. Ethics in Higher Education, p. 01, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Sämtliche Briefe: Kritische Gesamtausgabe Briefwechsel KGB. Herausgegeben von Georgio Colli und Mazzino Montinari. Walter de Gruyter: Berlin, 1986. 8 Bd.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Kritische Studienausgabe. Herausgegeben von Giorgio Colli und Mazzino Montinari. Walter de Gruyter: Berlin, 1999. 15 Bd.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Além do bem e do mal. Prelúdio a uma filosofia do futuro. Trad. Paulo César de Souza. Companhia das Letras: São Paulo, 2000.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A gaia ciência. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2001a.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Genealogia da Moral. Uma polêmica. Trad. Paulo César de Souza. Companhia das Letras: São Paulo, 2001b.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim Falava Zaratustra. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

PAPONI, María Susana. Reiteraciones: Friedrich Nietzsche, Filosofia y Cultura. In: MOREY, Miguel (org.). Esse Nietzsche. Salta: Ediciones de la Galeria Fedro, 2014. 17-26.

RAMADANOVICH, Petar. From Haunting to Traum: Nietzsche’s Active Forgetting and Blanchot’s Writing of the Disaster. University of the New Hampshire, v. 11, n. 2, p. U42-U60, 2011.

STIEGLER, Barbara. Nietzsche et la biologie. Paris: PUF, 2001.

TERTULIANO, Apologétique. Paris: Societé d’Édition ‘Les Belles Letres’, 1961.

VALADIER, Paul. Pertinência imoral do nietzschianismo. Síntese, Belo Horizonte, v. 39, n. 125, p. 379-391, 2012.

YATES, Frances A. A arte da memória. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

Recebido: 31/10/2022

Aceito: 23/02/2023

Publicado

2023-06-15

Como Citar

Feiler, A. F. (2023). A moral nas técnicas de memória: Nietzsche e os comentários sobre a mnemotécnica de Tomás de Aquino. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 46(3), 31–52. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/13918

Edição

Seção

Artigos e Comentários