Ubuntu como modo de vida

contribuição da filosofia africana para pensar a democracia

Autores

  • Antonio Oliveira Dju Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Darcísio Natal Muraro Universidade Estadual de Londrina (UEL)

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2022.v45esp.13.p239

Palavras-chave:

Comunidade, Ubuntu, Tolerância, Democracia, Filosofia africana

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar a noção do Ubuntu como contribuição para pensar a democracia, especialmente a crise que esta enfrenta, no Brasil, da atual realidade histórica de intolerância, discriminação racial, exclusão social e desumanização. Para isso, levanta-se a seguinte questão: pode a África contribuir para o pensamento da democracia, pela sua filosofia de vida expressa em Ubuntu? A primeira parte do texto analisa o conceito de Ubuntu, destacando seu caráter filosófico. A segunda parte desenvolve duas características estruturais do Ubuntu: a comunidade e a tolerância. A metodologia de pesquisa se caracteriza como um trabalho bibliográfico, cujo aporte é a análise filosófica da expressão Ubuntu, fundamentada no modo de vida africano, a partir das obras de Ramose: African Philosophy Through Ubuntu (2005); de Gyekye: Person and Community in African Thought (2003). Entende-se que compreender Ubuntu como um modo de vida africano, baseado na interdependência, interconstituição, interconexão e inter-humanização é cooperar para pensar a democracia como modo de vida ético, social e político, o qual reconhece e considera o(s) outro(s) como sujeito(s) de diferenças que possibilitam a humanização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Oliveira Dju, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutorando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação - Universidade Estadual de Londrina (UEL), Londrina, PR – Brasil.

Darcísio Natal Muraro, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1986), graduação em Teologia pelo Instituto Teológico São Paulo (1990), mestrado em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998), doutorado pela Universidade de São Paulo (2008). Atualmente é professor da graduação e pós-graduação da Universidade Estadual de Londrina. Atua com pesquisa, ensino e extensão principalmente com as seguintes áreas: Filosofia da Educação, Ensino de Filosofia na Educação Básica (Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio), Filosofia e Crianças, Educação para o Pensar. Temas de pesquisa: ensino de filosofia, experiência, diálogo, pensamento, democracia.

Referências

ANSAH, Richard; MENSAH, Modestha. Gyekye’s Moderate Communitarianism: A Case of Radical Communitarianism in Disguise. 2018. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/328796791_Gyekye's_moderate_communitarianism_a_case_of_radical_communitarianism_in_disguise. Acesso em: 22 dez. 2020.

BAUMAN, Zygmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Trad. De Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BRASIL. Diretrizes Curriculares da Educação Básica. 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1554 8-d-c-n-educacao-basica-nova-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 05 mar. 2018.

CASTIANO, José P. Referenciais da Filosofia Africana: em busca da intersubjectivação. Maputo: Ndjira, 2010.

CHUWA, Leonard Tumaini. African Indigenous Ethics in Global Bioethics: Interpreting Ubuntu. V. 1. New York: Springer, 2014.

DEWEY, John. Experience and Nature. London: George Allen & Unwin, 1929.

DJU, Antonio Oliveira. Alteridade e Educação: uma contribuição de Paulo Freire e da filosofia Ubuntu para uma educação humanizadora. 2021.152 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2021.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 22. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Educação e Atualidade Brasileira. 2. ed. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2002.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. 29. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, Paulo. Professora, Sim; Tia, Não: cartas a quem ousa ensinar. 24. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

GADE, Christian B. N. The Historical Development of the Written Discourses on Ubuntu. South African Journal of Philosophy, v. 30, n. 3, 2011. Disponível em: http://pure.au.dk/portal/files/40165256/The_Historical_Development_of_the_Written_Discourses_on_Ubuntu.pdf. Acesso em: 10 dez. 2019.

GYEKYE, Kwame. Person and community in African thought. In: COETZEE, P. H.; ROUX, A. P. J. (ed.). The African Philosophy Reader. 2. ed. New York: Routledge, 2003. p. 348-366.

KANU, I. A. African Philosophy: a hermeneutic aproach to African Traditional Religion, Theology and Philosophy. Jos: Augustinian, 2015.

KANU, I. A. African Philosophy, Globalization and the Priority of ‘Otherness’. In: IGWEBUIKE: An African Journal of Arts and Humanities, v. 3 n. 5, 2017. Disponível em: http://igwebuikejournals.com/pdf%20created/3.5.7.pdf. Acesso em: 10 ago. 2018.

MABOVULA, Nonceba Nolundi. The Erosion of African Communal Values: a reapraisal of the African ubuntu philosophy. Inkanyiso: Journal of Humanities and Social Sciences, v. 3, n. 1, 2011. Disponível em: https://www.ajol.info/index.php/ijhss/article/viewFile/69506/57525. Acesso em: 20 abril 2019.

MAURICE, M. Makumba. Introdução à Filosofia Africana: Passado e Presente. Trad. De Mário de Almeida. São Paulo: Paulinas; Prior Velho, 2014.

MBITI, John. African Religious and Philosophy. New York: Anchor Books, 1970.

MORA, Jose Ferrater. Dicionário de Filosofia. Tomo IV. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2004.

NABUDERE, Dani W. Ubuntu Philosophy: Memory and Reconciliation. Texas Scholar Works, 2005. Disponível em: https://repositories.lib.utexas.edu/handle/2152/4521. Acesso em: 10 fev. 2020.

RAMOSE, Mogobe B. African Philosophy Through Ubuntu. Harare: Mond Books, 2005.

RAWLS, John. The Law of People: with The Idea of Public Reason Revisited. Cambridge; Massachusetts; London: Harvard University Press, 1999.

TAYLOR, Charles. The Politics of Recognition. In: GUTMANN, Amy (org.). Multiculturalism: Examining the Politics of Recognition. New Jersey: Princeton, 1994. p. 25-73

TEMPELS, Placid. Bantu Philosophy. Paris: Présence Africaine, 1959.

TUTU, Desmond. No Future Without Forgiveness. New York: Doubleday, 2000.

TUTU, Desmond. God Has a Dream: a Vision of Hope for our Time. New York: Doubleday, 2004.

Recebido: 22/7/2020 - Aceito: 06/01/2021

Downloads

Publicado

2022-01-06

Como Citar

Dju, A. O., & Muraro, D. N. (2022). Ubuntu como modo de vida: contribuição da filosofia africana para pensar a democracia. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 45, 239–264. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2022.v45esp.13.p239