O Neoliberalismo de Hayek como momento da contrarrevolução

Autores

  • Henrique Cunha Viana UFMG

DOI:

https://doi.org/10.36311/2675-3871.2021.v2n5.p108-132

Palavras-chave:

Hayek, Neoliberalismo, Contrarrevolução, Ideologia, Utopia

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar elementos para a defesa de que o neoliberalismo de Hayek compõe o projeto contrarrevolucionário no século XX. Inspirados em Fredric Jameson e Paul Ricoeur, empreendemos uma leitura da suspeita de sua teoria do “liberalismo verdadeiro”, investigando os fundamentos de sua defesa da sociedade de mercado e crítica ao coletivismo.  Compreendendo que o seu discurso se constrói a partir do confronto com a experiência da Revolução Russa, apontamos brevemente como o neoliberalismo é mobilizado como projeto político de intervenção a partir do final da década de 1960, como forma de reação às aspirações de transformação social. Por fim, retomamos nossa hipótese de que a base do neoliberalismo do autor reside numa ontologia social que bloqueia desde o início qualquer forma de coletividade e solidariedade ampliada, em favor da concorrência e de uma dinâmica social sectária, potencialmente destrutivas do laço social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Henrique Cunha Viana, UFMG

Doutorando em Economia pelo Cedeplar/UFMG (CNPq). Mestre em Filosofia e Bacharel em Ciências Econômicas. | viana.henriquec@gmail.com

Downloads

Publicado

2021-08-28