ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE AS RELAÇÕES HISTÓRICAS ENTRE FASCISMO E AMERICANISMO

Autores

  • Leandro Galastri

DOI:

https://doi.org/10.36311/2526-1843.2021.v6n8.p128-139

Palavras-chave:

Fascismo. Americanismo. Fordismo. Gramsci. Estrutura-superestrutura.

Resumo

O objetivo deste artigo é revisitar traços básicos do fascismo e do americanismo/fordismo no que concerne às relações gerais de força entre as classes sociais em presença nos respectivos processos históricos; para isso, o texto procura assimilar a perspectiva metodológica que acompanha o desenvolvimento diacrônico do pensamento de Gramsci nos Cadernos do Cárcere, ao longo do qual a metáfora “arquitetônica” da dicotomia entre “estrutura” e “superestrutura” resulta superada em favor da dialética relação de forças aludida acima.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARATTA, Giorgio. As rosas e os Cadernos: o pensamento dialógico de Antonio Gramsci. Tradução de Giovanni Semeraro. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

COSPITO, Giuseppe. El ritmo del pensamiento de Gramsci: una lectura diacrónica de los Cuadernos de la cárcel. Traducción de Juan Jorge Barbero. Buenos Aires: Continente, 2016.

COSPITO, Giuseppe. Struttura e sovrastruttura nei “Quaderni” di Gramsci. Critica marxista, n. 3-4, maggio-agosto 2000, pp.98-107.

DE FELICE, Franco. Revolução passiva, fascismo, americanismo em Gramsci. In: FERRI, Franco (org.). Política e história em Gramsci, V.1. Tradução de Luiz Mário Gazzaneo. Rio de Janeiro: Civ. Brasileira, 1978.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni del cárcere (4 vol.). Edizione Critica a cura di Valentino Gerratana. Torino: Einaudi, 2001.

GRAMSCI, Antonio. Socialismo e fascismo: L’Ordine Nuovo 1921-1922. Torino: Giulio Einaudi, 1967.

SILVA, Ludovico. O estilo literário de Marx. Tradução de José Paulo Netto. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

SPAGNOLO, Carlo. Fascismo. In: LIGUORI, Guido; VOZA, Pasquale (a cura di). Dizionario gramsciano (1926-1937). Roma: Carocci, 2009, pp. 293-297.

TOGLIATTI, Palmiro. Lições sobre o fascismo. Tradução de Maria T. L. Teixeira. São Paulo: Liv. Ed. Ciências Humanas, 1978.

Downloads

Publicado

2021-06-30