GRAMSCI E OS CONSELHOS DE FÁBRICA (1919-1920)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/2526-1843.2019.v4n4.10728

Palavras-chave:

Conselhos de Fábrica, Americanismo, Revolução

Resumo

No âmbito acadêmico e político, o nome de Gramsci irrompe em diversos cenários. No Brasil, o autor pôde ser analisado por diversos prismas: voltado à educação, às questões culturais, à política e até mesmo tornou-se alvo de muitas polêmicas infundadas. O Gramsci que intelectuais competentes examinam, mormente é estudado a partir do período em que o comunista sardo esteve no cárcere. Em contraponto, este artigo surge como fruto de pesquisa da obra pré-carcerária de Gramsci e tem como objetivo principal compreender as formulações teóricas e práticas do jovem sardo durante o Biennio Rosso, a partir de artigos publicados por Gramsci no L’Ordine Nuovo.

Recebido em 15 de julho de 2019
Aprovado em 13 de agosto de 2019
Editado em 10 de setembro de 2019

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília Gabriella Machado, UNESP

Mestranda em Ciências Sociais (FFC/UNESP) e bolsista CAPES, pesquisadora na área de Teoria Política do Socialismo com foco na obra pré-carcerária de Gramsci.

Downloads

Publicado

2020-08-05

Como Citar

Machado, M. G. (2020). GRAMSCI E OS CONSELHOS DE FÁBRICA (1919-1920). Revista Práxis E Hegemonia Popular, 4(4), 67–81. https://doi.org/10.36311/2526-1843.2019.v4n4.10728

Edição

Seção

Artigos