"Kierkegaard não chegou a desprender-se de Hegel": Notas sobre o juízo de Heidegger sobre Kierkegaard em A hermenêutica da facticidade

Palavras-chave: Kierkegaard, Heidegger, Hegel, Trendelenburg, Ontologia

Resumo

O curso proferido por Heidegger no semestre de verão de 1923, e publicado posteriormente sob o título de Ontologia – A hermenêutica da facticidade, é um dos importantes loci nos quais Heidegger deixa entrever tanto a influência e importância de Kierkegaard quanto algumas de suas avaliações acerca do pensamento do filósofo dinamarquês. Uma delas, em especial, não obstante formule um interessante juízo sobre a relação entre Kierkegaard e Hegel – a partir da figura de F. A. Trendelenburg –, um dos temas mais revisitados da literatura interpretativa sobre Kierkegaard, não tem sido objeto frequente de avaliação por aqueles intérpretes. Assim, o objetivo deste artigo é expor, analisar e avaliar as teses de Heidegger sobre a relação Kierkegaard-Hegel a fim de sopesá-las em sua correção. Por fim, o artigo apresenta algumas reflexões metafilosóficas acerca das noções de relação e dependência entre dois filósofos.

Recebido: 13/01/2018
Aceito: 30/06/2019

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Ferrreira da Silva, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Professor do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), RS – Brasil.

Publicado
2020-03-30
Seção
Artigos/Articles