Crítica científica e modelos interpretativos em Nietzsche

Autores

  • Roberto Barros

Palavras-chave:

ciência, efetividade, realidade

Resumo

A partir da denúncia da contraditória presença de pressupostos morais dogmáticos na formulação dos princípios norteadores da atividade científica, Nietzsche concebe uma outra noção de cientificidade, compatível com a opção hegemônica pelo saber, que ele reconhece como presente na cultura ocidental. O presente artigo visa a discutir sob quais parâmetros Nietzsche, no período intermediário de sua produção filosófica, empreende sua interpretação da cientificidade ocidental e como, apresentando-se como seu fomentador, ele formula uma crítica desmistificadora desta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2008-12-10

Como Citar

Barros, R. (2008). Crítica científica e modelos interpretativos em Nietzsche. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 31(2), 61–79. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/982

Edição

Seção

Artigos e Comentários

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.