Liberdade democrática como desenvolvimento de si, resistência à opressão e à injustiça epistêmica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.14.p213

Palavras-chave:

democracia, liberdade, Paulo Freire, Amílcar Cabral, Augusto Boal

Resumo

O artigo busca elaborar um conceito de liberdade democrática como desenvolvimento de si, resistência à opressão e à injustiça epistêmica mediante engajamento crítico com as obras de Paulo Freire, Amílcar Cabral e Augusto Boal. No pensamento dos três autores, democracia, liberdade e desenvolvimento de si constituem uma tríade de mútua influência, de sorte que o pleno exercício de quaisquer destes itens é impossível na ausência de qualquer um dos outros dois. Trata-se de mostrar, ademais, a maneira pela qual a opressão é compreendida nos trabalhos dos três pensadores como o oposto da liberdade, e a injustiça epistêmica, como uma dimensão psíquica da opressão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Hessmann Dalaqua, Universidade Estadual do Paraná

 Professor no Colegiado de Filosofia da Universidade Estadual do Paraná

Referências

BABBAGE, Frances. Augusto Boal. London: Routledge, 2004.

BOAL, Augusto. Aqui ninguém é burro! Rio de Janeiro: Revan, 1996.

BOAL, Augusto. 200 exercícios e jogos para o ator e o não-ator com vontade de dizer algo através do teatro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

BOAL, Augusto. A estética do oprimido. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

CABRAL, Amílcar. Return to the Source: Selected Speeches by Amilcar Cabral. New York: Monthly Review Press, 1973.

CABRAL, Amílcar. A arma da teoria: unidade e luta I. Lisboa: Seara Nova, 1976.

CABRAL, Amílcar. A prática revolucionária: unidade e luta II. Lisboa: Seara Nova, 1977.

DALAQUA, Gustavo H. Democratic freedom as resistance against self-hatred, epistemic injustice, and oppression in Paulo Freire’s critical theory. Constellations, v. 26, n. 4, p. 525-537, 2019a.

DALAQUA, Gustavo H. Injustiça estética. Revista Limiar, v. 6, n. 12, p. 101-129, 2019b.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Tradução de Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

FEINBERG, Walter; TORRES, Carlos Alberto. Democracia y educacíon: John Dewey y Paulo Freire. Cuestiones Pedagógicas, n. 23, p. 29-42, 2014.

FREIRE, Paulo. Educação e atualidade brasileira. Tese de Concurso para a Cadeira de História e Filosofia da Educação. Recife: Universidade do Recife, 1959.

FREIRE, Paulo. Cartas à Guiné-Bissau: registros de uma experiência em processo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

FREIRE, Paulo. Cartas a Cristina. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. 5ª ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia dos sonhos possíveis. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 41ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017a.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 64ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017b.

FRICKER, Miranda. Epistemic Injustice: Power and the Ethics of Knowing. Oxford: Oxford University Press, 2007.

GIBSON, Nigel C. No easy victories: some reflections on Amilcar Cabral’s legacy. In: MANJI, Firoze; FLETCHER, Bill (Eds.). Claim No Easy Victories: The Legacy of Amilcar Cabral. Dakar: CODESRIA/Daraja Press, 2013, p. 17-30.

HOWE, Kelly; BOAL, Julian; SOEIRO, José (Eds.). The Routledge Companion to Theatre of the Oppressed. London: Routledge, 2019.

LENIN, Vladimir Ilitch. Que fazer? Problemas candentes do nosso movimento. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

MIGUEL, Luis Felipe. Democracia e representação: territórios em disputa. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

MORELOS, Ronaldo. Symbols and Power in Theatre of the Oppressed. 273 f. Dissertação (Mestrado em Artes). Queensland University, 1999.

PATERSON, Doug. Putting the “pro” in protagonist: Paulo Freire’s contribution to our understanding of forum theatre. In: EMERT, Toby; FRIEDLAND, Ellie (Eds.). “Come Closer.” Critical Perspectives on Theatre of the Oppressed. New York: Peter Lang, 2011, p. 9-20.

RABAKA, Reiland. Africana Critical Theory: Reconstructing the Black Radical Tradition, from W. E. B. Du Bois and C. L. R. James to Frantz Fanon and Amilcar Cabral. Lanham, MD: Lexington Books, 2009.

RABAKA, Reiland. Concepts of Cabralism: Amilcar Cabral and Africana Critical Theory. Lanham, MD: Lexington Books, 2014.

ROMÃO, José Eustáquio; GADOTTI, Moacir. Paulo Freire e Amílcar Cabral: a descolonização das mentes. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2012.

RUDEBECK, Lars. Guinea-Bissau. A Study of Political Mobilization. Uppsala: Scandinavian Institute of African Studies, 1974.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O fim do império cognitivo: a afirmação das epistemologias do Sul. Belo Horizonte: Autêntica, 2019.

SCHECHNER, Richard; CHATTERJEE, Sudipto. Augusto Boal, city councillor: legislative theatre and the chamber in the streets: an interview. TDR/The Drama Review, v. 42, n. 4, p. 75–90, 1998.

SOKOLOFF, William W. Confrontational Citizenship: Reflections on Hatred, Rage, Revolution, and Revolt. Albany, NY: SUNY Press, 2017.

VILLEN, Patricia. Amílcar Cabral e a crítica ao colonialismo. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

VITTORIA, Paolo; VIGILANTE, Antonio. Pedagogias da libertação: estudos sobre Freire, Boal, Capitini & Dolci. Tradução de William Soares dos Santos. Rio de Janeiro: Quartet: FAPERJ, 2014.

ZITKOSKI, Jaime José. Ser mais. In: STRECK, Danilo R.; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (Eds.). Dicionário Paulo Freire. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2017, p. 369-371.

Recebido: 28/09/2019 - Aceito: 22/02/2020

Downloads

Publicado

2020-09-10 — Atualizado em 2021-08-31

Como Citar

Dalaqua, G. H. (2021). Liberdade democrática como desenvolvimento de si, resistência à opressão e à injustiça epistêmica. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 43(3), 213–234. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.14.p213

Edição

Seção

Artigos e Comentários