Desfamiliarização e ficção científica

uma abordagem de base schrödingeriana à construção do objeto literário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.03.p35

Palavras-chave:

Schrödinger, Ficção Científica, Desfamiliarização, Invariantes, H. G. Wells

Resumo

O presente artigo propõe uma descrição da construção dos objetos literários na experiência humana, tomando como base as ideias de Erwin Schrödinger para a construção da realidade, publicadas em seus escritos filosóficos de 1928 a 1964. Sugere-se que a construção de tais objetos pode ser descrita por um processo parecido com o de resgate de invariantes e a construção de objetos científicos, na abordagem schrödingeriana, mas que essa abordagem não é suficiente para explicar alguns casos. É preciso incluir, então, a conceituação de desfamiliarização, proposta por Viktor Shklovsky em 1917 e revisitada por Sally Banes em 2003. Essa concepção consiste basicamente em tornar estranho o que é familiar, provocando a atenção na sua direção e despertando a consciência, em uma experiência marcante. A desfamiliarização mostra-se adequada para descrever os momentos em que há quebra de expectativas e por vezes também resgate de sensações. Este trabalho explora, ainda, exemplos que ilustram esses processos, estudando trechos de algumas obras de ficção científica, com ênfase em objetos científicos que são resgatados na ficção. Esta análise mostra que esses objetos também sofrem desfamiliarização, e que esta se dá de forma ligeiramente distinta dos objetos cotidianos. Além disso, especificidades do gênero escolhido encontradas em alguns dos trechos examinados sugerem que a desfamiliarização pode ocorrer de maneira peculiar, mais acentuada, na leitura de ficção científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASIMOV, I. Understanding Physics. Light, Magnetism, and Electricity. Vol. II. Chicago: A Mentor Book, New American Library, [1966] 1969.

BANES, S. Gulliver's Hamburguer: Defamiliarization and the Ordinary in the 1960s Avant-Garde. In: BANES, S. (ed.), Reinventing Dance in the 1960s. Everything was possible. Madison: The University of Wisconsin Press, 2003, p. 3-23.

BARTHEM, R. A luz. 1ª Edição. Coleção Temas Atuais de Física. São Paulo: Livraria da Física Editora, 2005.

DEWEY, J. Art as experience. New York: Perigee, [1934] 2005.

ELGIN. C. Making Manifest: the role of exemplification in Science and the Arts. In: DUTRA, L. H. (ed.), Principia, Revista Internacional de Epistemologia, Vol. 15 n. 3, dez. 2011, p. 399-413. Florianópolis: Núcleo de Epistemologia e Lógica, Universidade Federal de Santa Catarina, 2011.

JAMES, S. J. Maps of Utopia. H. G. Wells, Modernity & the End of Culture. New York: Oxford University Press, 2012.

LUCKHURST, R. Science Fiction. Cambridge: Polity Press, 2005.

MURR, C. E. Física Quântica e Objetividade Científica: Algumas ideias filosóficas de Erwin Schrödinger. 2010. 162p. Dissertação (Mestrado em Filosofia). Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Florianópolis, 2010.

LUCKHURST, R. A realidade através do espelho: Schrödinger e Russell no País da Objetivação. 2014. 323p.Tese (Doutorado em Filosofia). Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Florianópolis, 2014.

PASSOS, C., RIAUDEL, M., & ROSENBAUM, Y. Dossiê Figuras do estranhamento. In: Literatura e Sociedade, 20(20), 81-84. 2015.

Disponível em: <https://doi.org/10.11606/issn.2237-1184.v0i20p81-84>

RUSSELL, B. The Analysis of Mind. New York: Watchmaker Publishing, [1921] 2010.

SCHRÖDINGER, E. Conceptual Models in Physics and their Philosophical Value. In: SCHRÖDINGER, E. Science and the Human Temperament. Tradução de W. H. Johnston. London: George Allen & Unwin Ltd, [1928] 1935, p. 119-138.

SCHRÖDINGER, E. Science and Humanism: Physics in Our Time. In: SCHRÖDINGER, E. “Nature and the Greeks” and “Science and Humanism”. Cambridge: Cambridge University Press, [1951] 1996, p. 101-172.

SCHRÖDINGER, E. Science, Philosophy and the Sensates. In: BITBOL, M. (org.). “The Interpretation of Quantum Mechanics: Dublin Seminars (1949-1955)” and Other Unpublished Essays. Woodbridge: Ox Bow Press, [1954a] 1995, p. 123-130.

SCHRÖDINGER, E. Nature and the Greeks. In: SCHRÖDINGER, E. “Nature and the Greeks” and “Science and Humanism”. Cambridge: Cambridge University Press, [1954b] 1996, p. 3-99.

SCHRÖDINGER, E. Mind and Matter: the Turner Lectures. In: SCHRÖDINGER, E. “What is life?” with “Mind and Matter” and “Autobiographical Sketches”. Cambridge: Cambridge University Press, [1956] 2001, p. 93-164.

SCHRÖDINGER, E. What is an Elementary Particle. In: SCHRÖDINGER, E. Science, Theory and Man. Tradução de J. Murphy e W. H. Jonston. New York: Dover Publications, 1957, p. 193-223.

SHER, B. Shklovsky and the Revolution. Translator’s Introduction. In: SHKLOVSKY, V., [1917], Theorie of Prose. Champaign: Dalkey Archive Press, 1990.

SHKLOVSKY, V. Art as Device. In: SHKLOVSKY, V. Theory of Prose. Tradução de B. Sher. Champaign: Dalkey Archive Press, [1917] 2009, p. 1-14.

TAVARES, B. Prefácio. In: WELLS, H. G. A Máquina do Tempo. Rio de Janeiro: Editora Suma, 2018, p. 5-11.

WARHOL, A. Brillo Box (Soap Pads). Synthetic polymer paint and silkscreen ink on wood. Dimensions 17 1/8 x 17 x 14" (43.3 x 43.2 x 36.5 cm). New York, The Museum of Modern Art, 1964.

WELLS, H. G. The Time Machine. New York: Dover Publications Inc, [1895a] 1995.

WELLS, H. G. A Máquina do Tempo. Tradução de Braulio Tavares. Rio de Janeiro: Editora Suma, [1895b] 2018.

WELLS, H. G. The Island of Dr. Moreau. New York. Dover Publications Inc, [1896] 1996.

WELLS, H. G. The Invisible Man. E-book. Project Guttemberg, [1897a] 2004.

Disponível em: http://www.gutenberg.org/ebooks/5230. Acesso em 11 ago. 2017.

WELLS, H. G. O Homem Invisível. Tradução de Bruno Alexander. Porto Alegre: Ed. L&PM, [1897b] 2017.

Recebido: 28/01/2019 - Aceito: 22/02/2020

Downloads

Publicado

2020-09-10 — Atualizado em 2021-08-31

Como Citar

Murr, C. E. (2021). Desfamiliarização e ficção científica: uma abordagem de base schrödingeriana à construção do objeto literário. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 43(3), 35–64. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.03.p35

Edição

Seção

Artigos e Comentários