Desfamiliarização e ficção científica

uma abordagem de base schrödingeriana à construção do objeto literário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.03.p35

Palavras-chave:

Schrödinger, Ficção Científica, Desfamiliarização, Invariantes, H. G. Wells

Resumo

O presente artigo propõe uma descrição da construção dos objetos literários na experiência humana, tomando como base as ideias de Erwin Schrödinger para a construção da realidade, publicadas em seus escritos filosóficos de 1928 a 1964. Sugere-se que a construção de tais objetos pode ser descrita por um processo parecido com o de resgate de invariantes e a construção de objetos científicos, na abordagem schrödingeriana, mas que essa abordagem não é suficiente para explicar alguns casos. É preciso incluir, então, a conceituação de desfamiliarização, proposta por Viktor Shklovsky em 1917 e revisitada por Sally Banes em 2003. Essa concepção consiste basicamente em tornar estranho o que é familiar, provocando a atenção na sua direção e despertando a consciência, em uma experiência marcante. A desfamiliarização mostra-se adequada para descrever os momentos em que há quebra de expectativas e por vezes também resgate de sensações. Este trabalho explora, ainda, exemplos que ilustram esses processos, estudando trechos de algumas obras de ficção científica, com ênfase em objetos científicos que são resgatados na ficção. Esta análise mostra que esses objetos também sofrem desfamiliarização, e que esta se dá de forma ligeiramente distinta dos objetos cotidianos. Além disso, especificidades do gênero escolhido encontradas em alguns dos trechos examinados sugerem que a desfamiliarização pode ocorrer de maneira peculiar, mais acentuada, na leitura de ficção científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-09-10

Edição

Seção

Artigos/Articles