Da sintomatologia de modelo junguiano à crítica portadora de coordenadas transcendentais

uma leitura a respeito do Sacher-Masoch de Deleuze

Autores

  • Luciano da Silva Façanha Universidade Federal do Maranhão https://orcid.org/0000-0003-1178-4018
  • Flávio Luiz de Castro Freitas Universidade Federal do Maranhão

Palavras-chave:

Deleuze, Sacher-Masoch, Jung, Sintomatologia, Transcendental

Resumo

O objetivo geral do presente trabalho consiste em explicitar o percurso entre duas leituras que Gilles Deleuze realiza acerca da obra de Sacher-Masoch na década de 60 do Século XX. A primeira leitura concerne ao artigo de 1961 intitulado De Sacher-Masoch ao masoquismo. A segunda leitura diz respeito ao livro de 1967 intitulado de Sacher-Masoch – o frio e o cruel. Postula-se que a relação entre esses dois momentos é constituída por um processo de radicalização transcendental da parte de Deleuze, o qual vai da sintomatologia de modelo junguiano até alcançar a crítica transcendental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano da Silva Façanha, Universidade Federal do Maranhão

Pós-Doutorado em Filosofia, estética do Século XVIII - PUC/SP. Doutor e Mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Bacharel em Direito pela Universidade Cidade de São Paulo e licenciado em Filosofia pela Universidade Federal do Maranhão. Atua na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), como professor Associado no Departamento de Filosofia (DEFIL); Coordenou o Programa de Pós-graduação em Cultura e Sociedade - Mestrado Interdisciplinar (PPGCult), de 2014 a 2018; Professor nos Mestrados em Cultura e Sociedade e Mestrado Profissional em Filosofia da UFMA - PROF-Filo/UFMA. Foi coordenador do DINTER em Filosofia USP/UFMA; Coordena o NEPI Núcleo de Estudos do Pensamento Iluminista; é líder do Grupo de Estudo e Pesquisa Interdisciplinar Jean-Jacques Rousseau UFMA (GEPI Rousseau UFMA), registrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq. Integrante do Núcleo de sustentação do GT Rousseau e o Iluminismo da ANPOF (Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase no Pensamento do Século XVIII, atuando principalmente nos temas relacionados à estética do século XVIII, História da Filosofia Moderna, Iluminismo, problemas da linguagem na filosofia, História, Filosofia e Literatura, Belas-Letras e Belas-Artes. Se dedica aos estudos dos filósofos Jean-Jacques Rousseau, Diderot, Voltaire e Montesquieu e a teoria crítica literária contemporânea de Maurice Blanchot e Roland Barthes referentes aos estudos estéticos do XVIII. Bolsista de estímulo a produtividade em pesquisa FAPEMA Doutor Sênior edital n° 007/2018.

Flávio Luiz de Castro Freitas, Universidade Federal do Maranhão

Doutor em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Com estágio sanduíche pela Universidade Pantheon - Sorbonne, Paris I. Professor Adjunto I e Professor Permanente do Programa de Pós graduação Interdisciplinar em Cultura e Sociedade da Universidade Federal do Maranhão - UFMA.

Referências

ALLIEZ, E. Deleuze avec Masoch. In: Deleuze et les écrivains. Littérature et Philosophie. Nantes: Éditions Cécile Default, 2007

DAVID-MÉNARD, M. Deleuze e a psicanálise. Tradução de Marcelo Jacques de Moraes. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014

DELEUZE, G. Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. São Paulo: Editora 34, 1992.

DELEUZE, G. Diferença e repetição. Tradução: Roberto Machado e Luiz Orlandi. Rio

de Janeiro: Graal, 2006.

DELEUZE, G. Mística e Masoquismo. Traduzido por Fabien Lins. In: A ilha deserta e outros textos: textos e entrevistas (1953 – 1974). Edição preparada por David Lapoujade. São Paulo: Editora Iluminuras, 2006

DELEUZE, G. Sacher-Masoch - o frio e o cruel. Tradução de Jorge Bastos e revisão técnica de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Zahar, 2009

DELEUZE, G. Du Sacher-Masoch au Masochisme. In: LAPOUJADE, D. Lettres et Autres Textes. Paris: Les Éditions de Minuit, 2015/1961.

DOSSE, F.Gilles Deleuze e Félix Guattari: biografia cruzada. Tradução de Murad. Porto Alegre: Artmed, 2010.

FREITAS, F. Do grito do incondicionado aos ruídos do tempo: Gilles Deleuze e a questão do princípio do prazer. Revista Dois Pontos, São Carlos/Curitiba, v. 13, n. 03, p.187-209, dez; 2016. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/doispontos/article/view/46917 . Acesso em: 09/12/2017

FREUD, S. Além do princípio de prazer. Tradução de Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1976/1920.

JUNG. C.G.. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Tradução Maria Luíza Appy e Dora Mariana Ferreira da Silva. Editora Vozes: Petrópolis, 2000/1969.

MONTEBELLO, P. L’instinct de mort chez Deleuze La controverse avec La psychanalyse. Revista Dois Pontos. Curitiba/São Carlos: volume 8, número 2, p. 15-26, out; 2011. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/doispontos/article/view/21932 . Acessado em: 10/12/2017.

SACHER-MASOCH, L.v. A vênus das peles. Tradução de Saulo Krieger. São Paulo: Editora Hedra, 2015.

SANTIAGO, H. Deleuze leitor de Masoch: Da sintomatologia à ética. In: Deleuze hoje. Edição coordenada por Sandro Kobol Fornazari e organizada por Adriana Barin de Azevedo, Bárbara Lucchesi Ramacciotti, Cíntia Vieira da Silva, Cleber Daniel Lambert da Silva. São Paulo: Editora Fap -Unifesp, 2014.

SANCHES, A. A importância de pensar o além do princípio de prazer na filosofia transcendental: diálogos entre Deleuze e Freud. In: AZEVEDO, A. B. de et al. (Orgs.). Deleuze hoje. São Paulo: Editora Fap-Unifesp, 2014.

Recebido: 14/01/2019 - Aceito: 23/02/2020

Publicado

2020-11-20 — Atualizado em 2022-07-17

Como Citar

Façanha, L. da S., & Freitas, F. L. de C. (2022). Da sintomatologia de modelo junguiano à crítica portadora de coordenadas transcendentais: uma leitura a respeito do Sacher-Masoch de Deleuze. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 43(4), 183–202. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/8616

Edição

Seção

Artigos e Comentários