Uma questão de vaidade:

relações entre Nietzsche e Mandeville

Autores

Palavras-chave:

Moralidade, Vaidade, Nietzsche, Mandeville

Resumo

O artigo discute aspectos de relativa congruência entre as críticas da moral em Nietzsche e Mandeville, atentando-se principalmente para a questão da vaidade. Considera-se que Nietzsche e Mandeville, guardadas as devidas peculiaridades, foram imoralistas em suas respectivas épocas. Através de pesquisas nas obras publicadas e em fragmentos póstumos, sabe-se que Nietzsche conhecia o pensamento de Mandeville. Porém, não se pôde verificar a extensão das leituras que o filósofo alemão fez de seu antecessor. O livro pesquisado de Mandeville foi A fábula das abelhas: Vícios privados, benefícios públicos. Devido à extensão da obra de Nietzsche, a discussão filosófica neste filósofo centrou-se nos dois volumes de Humano, demasiado humano, Aurora e A Gaia Ciência. Mandeville entendia que a existência e não a revogação dos vícios era a mola propulsora do enriquecimento da sociedade. Um dos traços da natureza humana é a vaidade. Não é a humildade que subjaz às ações virtuosas, mas o orgulho, bem como a vaidade. A virtude moral seria um artifício para a obtenção de benefícios individuais. Para Nietzsche, a vaidade é o que torna a visão do ser humano suportável, dissimulando paixões e emoções que moralmente são tidas como vergonhosas. A vaidade tem o papel de humanizar o indivíduo para que seja mais sociável e cumpra as exigências de uma moralidade estabelecida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo de Oliveira Toledo, UFSJ

Doutor em Filosofia, na linha Estética e Filosofia da Arte, pela UERJ, Brasil, com orientação da tese pela Profa. Dra. Rosa Maria Dias. Período sanduiche na Università del Salento, sob a tutoria do Prof. Dr. Marco Brusotti. Mestre em Estética e Filosofia da Arte pela UFOP, Brasil, com orientação da dissertação pelo Prof. Dr. Olímpio José Pimenta Neto. Especialista em Filosofia Contemporânea, pela UFSJ. Bacharel em Filosofia pela UFSJ. A maior parte da produção acadêmica é voltada para a filosofia contemporânea, cultura e arte, especialmente a partir de reflexões oriundas do pensamento de Nietzsche. Atualmente, dedica-se, também, a pesquisas em filosofia da ciência na UFSJ. Aprovado em concurso para professor adjundo efetivo em fevereiro de 2016 na UFSJ.

Referências

BRITO, A. As abelhas egoístas: Vício e virtude na obra de Bernard Mandeville. 2007. 152f. Tese (Doutorado em Filosofia) - Programa de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, São Paulo, 2007.

BROBJER, T. Nietzsche’s Philosophical Context: An Intellectual Biography. Urbana: University of Illinois Press, 2008.

BROBJER, T. Bernard Mandeville e as Escolas de Caridade. É Revista: Ética e Filosofia Política, Juiz de Fora, UFJF, v. 17, n. 1, p. 24-33, 2014.

CAMPIONE, G. et al. Nietzsches persönliche Bibliothek. Berlin, New York: Walter de Gruyter, 2003.

COMPARATO, F. Ética: Direito, moral e religião no mundo moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

DUMONT, L. The emancipation of economics from morality: Mandeville´s Fable of the Bees. Social Science Information, Thousand Oaks, v. 14, n. 1, p. 35-52, 1975.

FORNARI, M. La morale evolutiva del gregge: Nietzsche legge Spencer e Mill. Pisa: ETS, 2006.

GERHARDT, V. Die Perspektive des Perspektivismus. Nietzsche-Studien, Berlim, n. 18, p. 260-281, 1989.

HIGGINS, K.; SOLOMON, R. What Nietzsche Really Said. New York: Schocken Books, 2000.

HUNDERT, E. The enlightenment’s fable: Bernard Mandeville and the discovery of society. Cambridge: Cambridge University, 2005.

KANT, I. Crítica da razão prática. Tradução de Valério Rohden. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KENNEDY, J. Machiavelli and Mandeville: Prophets of Radical Contingency. Political Theology, v. 5, n.1, p. 102-120, 2004.

LOSURDO, D. Nietzsche: O rebelde aristocrata – Biografia intelectual e balanço crítico. Tradução de Jaime A. Clasen. Rio de Janeiro: Revan, 2009.

MACHADO, R. Nietzsche e a verdade. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

MANDEVILLE, B. Fábula das abelhas ou vícios privados, benefícios públicos. Tradução de Bruno Costa Simões. São Paulo: Editora UNESP, 2017.

MAXWELL, J. Ethics and politics in Mandeville. Philosophy, v. 26, n. 98, p. 242-252, 1951 (published online by Cambridge University Press: 2009).

NIETZSCHE, F. Sämtliche Werke: Kritische Studienausgabe. Hrsg. G. Colli und M. Montinari. Belin/New York: de Gruyter, 1999 (KSA).

NIETZSCHE, F. Sämtliche Briefe: Kritische Studienausgabe. Hrsg. G. Colli und M. Montinari. Belin/New York: de Gruyter, 2003 (KSB).

NIETZSCHE, F. Aurora: reflexões sobre os pensamentos morais. Tradução de Paulo César Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

NIETZSCHE, F. Humano, demasiado humano: Um livro para espíritos livres. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

NIETZSCHE, F. A Gaia Ciência. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

NIETZSCHE, F. Humano, demasiado humano II. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

NIETZSCHE, F.; RÉE, P.; SALOMÉ, L. Triangolo di lettere. Ernst Pfeiffer e Mario Carpitella orgs. Milano: Gli Adelphi, 2011.

SMITH, A. Teoria dos sentimentos morais. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

SOLOMON, R. Living with Nietzsche. What the great “Immoralist” has to teach us. Oxford: Oxford University Press, 2003.

STAFFORD, M. Private vices, Publick benefits? The contemporary reception of Bernard Mandeville. Solihull: Ismeron, 1997.

TOLEDO, R. Vida contemplativa e vida ativa em Nietzche: um estudo da cultura em Aurora. In: CARVALHO, M.; FREZZATTI JÚNIOR., W. A. (Org.). Nietzsche: Coleção XVI Encontro ANPOF. Rio de Janeiro: ANPOF, 2015. p. 55-66.

TOLEDO, R. Sociedade industrial e crise cultural: Reflexões sobre a Modernidade em Nietzsche. Revista Reflexões. Fortaleza, UVA, Ano 6, n. 11, jul.-dez. 2017.

TONGEREN, P. van. A moral da crítica de Nietzsche a moral: estudo sobre Para além de bem e mal. Tradução de Jorge Luiz Viesenteiner. Curitiba, PR: Champagnat, 2012.

Recebido: 30/7/2018 - Aceito: 08/8/2020

Publicado

2021-04-22 — Atualizado em 2022-06-29

Como Citar

Toledo, R. de O. . (2022). Uma questão de vaidade: : relações entre Nietzsche e Mandeville. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 44(1), 357–380. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/8080

Edição

Seção

Artigos e Comentários