O tempo como critério de verificação da possibilidade do discurso filosófico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.11.p167

Palavras-chave:

Heidegger, Tempo, Predicação, Discurso filosófico

Resumo

O objetivo principal do presente estudo é identificar o tempo como o critério de verificação da possibilidade de um discurso filosófico, isto é, de uma possibilidade discursiva ser capaz de falar adequadamente acerca das palavras fundamentais. Para tanto, interessará mostrar como o tempo é o elemento vinculador das condições de possibilidade do enunciado em geral e como este se fundamenta na estrutura imprópria da temporalidade. Tal prerrogativa é o que inviabiliza o enunciado tratar adequadamente qualquer palavra fundamental. Caberá, então, afirmar que somente uma possibilidade discursiva que se fundamente na estrutura própria da temporalidade poderá ter um acesso adequado às palavras fundamentais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Estevão Lemos Cruz, Universidade Estadual do Paraná

Professor adjunto do curso de Filosofia e do Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade Estadual do Paraná. Pesquisador efetivo do Núcleo de Estudos Scrinium (NES).

Referências

CRUZ, Estevão L. A pré-história da significação de οὐσία: Uma análise da interpretação heideggeriana de ousia enquanto presentidade (Anwesenheit). Archai: Journal on the origins of Western thought, n. 25, Brasília, 2019a.

CRUZ, Estevão L. A temporalidade como condição de possibilidade da compreensão do ser do ente simplesmente presente à vista (Vorhanden). Universitas Philosophica, 36(73), 147-186, 2019b.

FIGAL, Günter. Gegenständlichkeit. Tübigen: Mohr Siebeck, 2006.

HEIDEGGER, Martin. Logik. Die Frage nach Der Wahrheit (Gesamtausgabe Band 21). Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1976.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Parte I. Tradução de Marcia Sá Cavalcante Schubak. Petrópolis: Vozes, 2002.

HEIDEGGER, Martin. Ser y Tiempo. Tradução de Jorge Eduardo Rivera. Madrid: Trotta, 2003.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Parte II. Tradução de Marcia Sá Cavalcante Schubak. Petrópolis: Vozes, 2004.

HEIDEGGER, Martin. Sein und Zeit. Tübingen: Max Niemeyer Verlag, 2006.

HEIDEGGER, Martin. Os Problemas fundamentais da fenomenologia. Tradução de Marco Antônio Casanova. Petrópolis: Vozes, 2012a.

HEIDEGGER, Martin. A essência da liberdade humana: introdução à filosofia. Tradução de Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro: Via Veritas, 2012b.

HUDOLPH, Enno; WISMANN, Heinz (ed.). Sagen, was der Zeit ist. Stuttgart: Metzler, 1992.

KOCKELMANS, Joseph J. Zeit Und Sprache Im Ereignis. Phänomenologische Forschungen. Hamburg, vol. 21, p. 51–81, 1988.

RAUEN, Verena. Die Zeitlichkeit des Verzeihens. Paderborn: Wilhelm Fink, 2015.

SHIKAYA, Takako. Logos und Zeit. Heideggers Auseinandesetzung mit Aristoteles und der Sprachgedanke. Würzburg: Königshausen & Neumann, 2004.

STEINMANN, Michael. Die Offenheit des Sinns. Tübigen: Mohr Siebeck, 2008.

REIS, Robson R, dos. Modalidade existencial e indicação formal: elementos para um conceito existencial de moral. Natureza Humana, v. 2, p.273 - 300, 2000.

REIS, Robson R, dos. Aspectos do pensamento indicativo-formal: negação e justificação. Natureza Humana, v.13(1), p.117 - 133, 2011.

Recebido: 17/07/2018 - Aceito: 23/02/2020

Downloads

Publicado

2020-09-10 — Atualizado em 2021-08-31

Como Citar

Cruz, E. L. (2021). O tempo como critério de verificação da possibilidade do discurso filosófico. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 43(3), 167–186. https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.11.p167

Edição

Seção

Artigos e Comentários