A valencior pars no Defensor Pacis de Marsílio de Pádua

Autores

  • Sérgio Ricardo Strefling

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732012000400015

Palavras-chave:

Marsílio de Pádua, Representação, Parte preponderante, Política.

Resumo

Marsílio de Pádua (1280-1343) foi um pensador da Idade Média que escreveu duas obras de filosofia política que influenciaram a modernidade. Este estudo analisa o termo valencior pars, da obra Defensor Pacis. Marsílio parece definir essa parte preponderante como sendo a representação do conjunto dos cidadãos que não tem uma natureza débil. Isso sugere que a valencior pars é tanto qualitativamente superior quanto uma maioria numérica dos cidadãos. O apelo a uma mistura de considerações quantitativas e qualitativas era familiar no contexto das eleições medievais da Igreja, que geralmente apoiava a parte maior e mais razoável (maior et saniors pars) das instituições eleitorais. Marsílio sugere que a valencior pars pode ser identificada com o costume honrado do governo, entretanto, parece que a mesma corresponde a qualquer parte da coletividade cuja decisão eleitoral é decisiva. Nesse sentido, o filósofo paduano está de acordo com a análise original de Aristóteles.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-18

Como Citar

Strefling, S. R. (2012). A valencior pars no Defensor Pacis de Marsílio de Pádua. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 35, 225–244. https://doi.org/10.1590/S0101-31732012000400015

Edição

Seção

Artigos e Comentários