Avicena (Ibn Sina, 980-1037) e o argumento metafísico da unicidade de Deus na hermenêutica alcorânica

Autores

  • Jamil Ibrahim Iskandar

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732012000400004

Palavras-chave:

Filosofia Islâmica, Filosofia Medieval Árabe, Avicena, Ibn Sina, Exegese Alcorânica.

Resumo

Este artigo apresenta uma tradução da hermenêutica sobre a unicidade de Deus de um capítulo (sura) do Alcorão, de acordo com o pensamento de Avicena (Ibn Sina). É o capítulo denominado capítulo do Monoteísmo, cujo número é 112 no Alcorão. Antes, porém, há uma introdução sobre o que representou o Alcorão nos primórdios do Islã e a sua influência no desenvolvimento da filosofia e da teologia em terras do Islã. Nesse texto, pode ser constatado que, na doutrina islâmica, o primeiro fundamento e o mais rigoroso é a unicidade de Deus. É sobre isso que este artigo discorre.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-18

Como Citar

Iskandar, J. I. (2012). Avicena (Ibn Sina, 980-1037) e o argumento metafísico da unicidade de Deus na hermenêutica alcorânica. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 35, 31–42. https://doi.org/10.1590/S0101-31732012000400004

Edição

Seção

Artigos e Comentários