Comentário "A ação no tempo: reflexo da multiplicidade"

Autores

  • Maria Cristina Mariante Guarnieri Pontifica Universidade Católica - PUC/SP

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n4.17.p277

Palavras-chave:

Franz Rosenzweig, Tempo, Multiplicidade

Resumo

Comentar um texto sobre Franz Rosenzweig é ter a oportunidade de ampliar o debate sobre um autor com um consistente trabalho intelectual, construído em uma vida curta (1886-1929), mas muito produtiva. O reconhecimento de Perius, em seu texto, do judaísmo de Franz Rosenzweig, guiará meu comentário. Primeiro, pelo fato de o próprio Rosenzweig ter admitido que permaneceria judeu, após a experiência na sinagoga em Berlim, em 1913, recusando assim a conversão ao cristianismo e todo o processo de assimilação, devido ao contínuo crescimento do antissemitismo, nos meios universitários alemães. Permanecer judeu, para Rosenzweig, pedia outro modo de pensar, uma nova forma de conceber a realidade, que, reconhece ele próprio, pode ser encontrada em sua própria tradição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Mariante Guarnieri, Pontifica Universidade Católica - PUC/SP

Psicóloga clínica; Doutora em Ciências da Religião, PUC-SP; Docente do Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa (IJEP); Pesquisadora e coordenadora do Grupo de Judaísmo Contemporâneo do Laboratório de Política, Comportamento e Mídia da Fundação São Paulo/PUC-SP – LABÔ.

Downloads

Publicado

2020-11-20

Edição

Seção

Artigos/Articles