Comentário ao artigo "Valores, Verdade e Investigação: uma alternativa pragmatista ao não cognitivismo de Russell."

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n3.19.p273

Palavras-chave:

Filosofia Contemporânea, Russell, Cognitivismo

Resumo

Em seu texto, Ivan F. da Cunha apresenta um dos maiores embates da filosofia contemporânea, a saber, a divisão entre realistas e não realistas, em outras palavras, entre aqueles que acham que a divisão metafísica entre real e aparente é fundamental, para definir um critério de verdade correspondentista, e aqueles que não acham que essa diferença seja importante. Mostra por que, apesar de realista e correspondentista, Russell defende, na parte final do The Scientific Outlook, que a ciência não pode ser a única a definir os rumos da sociedade, pois isso nos levaria à possibilidade de que uma oligarquia detentora dos meios de financiamento da pesquisa científica e de seu direcionamento, para a aplicação do conhecimento científico no desenvolvimento de tecnologias, definisse que toda pesquisa e tecnologia fosse direcionada para o aprimoramento dos modos de produção – inclusive com o desenvolvimento de tecnologia genética voltada para a criação de castas de trabalhadores dóceis ao sistema de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Susana de Castro, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Professora Associada do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Downloads

Publicado

2020-09-10

Edição

Seção

Artigos/Articles