A dimensão constituinte do poder em Hannah Arendt

Autores

  • Odílio Alves Aguiar

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732011000100007

Resumo

O artigo investiga a concepção do poder em Hannah Arendt. O pano de fundo dessa reflexão, na autora, é o mal inerente às práticas de extermínio dos governos totalitários. A nossa exposição ressalta a dimensão constituinte do poder, na qual o poder está associado à capacidade de iniciar e de fundar ações com os outros. Nesse sentido, distancia-se da dimensão constituída do poder: Estado, governo e soberania. Em Arendt, poder diferencia-se de dominação. Os termos que compõem nossa abordagem são: mundo comum, condição humana, ação, espaço público, desobediência civil e potência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2011-07-25

Como Citar

Aguiar, O. A. (2011). A dimensão constituinte do poder em Hannah Arendt. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 34(1), 115–130. https://doi.org/10.1590/S0101-31732011000100007

Edição

Seção

Artigos e Comentários