GRAMSCI, AS MULHERES E A “QUESTÃO SEXUAL”

Autores

  • Noemi Ghetti Università di Padova

DOI:

https://doi.org/10.36311/2526-1843.2020.v5n6.p76-92

Palavras-chave:

Gramsci. Emancipação feminina. Revolução Russa. Biênio Vermelho.

Resumo

Através de cartas, documentos e testemunhos, o ensaio descreve a relação original entre Gramsci e mulheres na família, no amor, na política, das origens da Sardenha ao Turim "vermelho de dois anos" até a experiência russa decisiva de 1922-1923. A atenção à sua condição subordinada, do trabalho e também dos trabalhadores, durante a liderança política e no reflexo da prisão revolucionária, torna-se o pensamento da necessidade do desenvolvimento de uma nova identidade feminina, intimamente livre de condicionamentos burgueses, além do mito racional da produtividade capitalista e também comunista. Portanto, não apenas a emancipação feminina, mas também a libertação, fundada na certeza da igualdade absoluta na diversidade sexual: uma indicação ainda hoje fundamental para a esquerda.

Recebido em 24 de março de 2020
Aceito em 18 de maio de 2020
Editado em julho de 2020

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-07-21

Edição

Seção

Artigos