Flash Aesthesis: uma neurofilosofia da experiência estética

Autores

  • Ronaldo Bispo

Palavras-chave:

experiência estética, sentimento, hiper-espaço,

Resumo

O texto a seguir apresenta em diálogo ou aplica a uma certa concepção de experiência estética um amplo conjunto de evidências experimentais retirado da investigação de outros fenômenos mentais, em particular a experiência subjetiva de emoções e sentimentos. Provém de António Damásio a viga mestra, o esqueleto, a base, a estrutura de toda a minha argumentação. Minha principal hipótese é a de que certos objetos e situações ativam hiper-espaços dispositivos cerebrais associados à ocorrência de fenômenos como sensação de beleza, prazer e alegria. Proponho que a emergência de uma experiência estética deve ser compreendida como resultado de uma percepção sensível que aciona uma rotina somático-cognitiva, função do disparo de um padrão de padrões neurais dispositivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2004-12-01

Como Citar

Bispo, R. (2004). Flash Aesthesis: uma neurofilosofia da experiência estética. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia Da Unesp, 27(2), 113–142. Recuperado de https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/881

Edição

Seção

Artigos e Comentários