O bergsonismo de Gilles Deleuze

Autores

  • Sandro Kobol Fornazari

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-31732004000200003

Palavras-chave:

intuição, virtual, atual, diferenciação, memória

Resumo

Este texto é uma apresentação da interpretação feita por Gilles Deleuze da filosofia de Henri Bergson. Procura-se enfocar os temas que viriam a ser retomados pela filosofia deleuziana, sendo desenvolvidos em Diferença e repetição e a partir dessa obra. Dentre os mais relevantes, encontrase o tema da ontologia afirmativa, que envolve a passagem do virtual para o atual através do processo de diferenciação do ser. O ser não deixa de ter existência ao atualizar-se, mas ele diferencia a si mesmo nesse processo, individuando-se como as coisas presentes na experiência. O ser é, desse modo, pré-individual e pré-subjetivo. Em Bergson, haveria a coexistência virtual de todos os graus de diferenças na duração

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2004-12-01

Como Citar

Fornazari, S. K. (2004). O bergsonismo de Gilles Deleuze. TRANS/FORM/AÇÃO: Revista De Filosofia, 27(2), 31–50. https://doi.org/10.1590/S0101-31732004000200003

Edição

Seção

Artigos e Comentários