A dimensão literária do diagnóstico do presente em Foucault

Palavras-chave: Foucault, Diagnóstico, Literatura, Experiência, Bataille

Resumo

Neste artigo propomos uma investigação sobre a definição foucaultiana do papel da filosofia enquanto a construção de um diagnóstico do presente. Sustentamos que o pensamento de Foucault em torno à figura do diagnóstico incorpora algumas de suas considerações sobre a linguagem e literatura modernas. Destacamos essa apropriação notadamente os partir dos temas do apagamento do rosto, a relação entre linguagem e morte, e seu artigo sobre Georges Bataille. Para sustentar essa hipótese de leitura, elencamos uma série de encadeamentos e deslocamentos de ideias em textos de diferentes momentos de Foucault, o que sugere a existência de uma dimensão literária do diagnóstico. Terminamos apresentando algumas repercussões ético-políticas de todas essas considerações em alguns de seus textos derradeiros, de modo a sugerir que sua relação com o pensamento literário é profunda, podendo ser encontrada em suas considerações sobre história e sobre o funcionamento de seus próprio livros enquanto livros-experiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Verginelli Galantin, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Mestre em Filosofia pela UFPR. Doutorado em Filosofia pela UFPR com estágio sanduíche na Université de Paris Est-Créteil. Pesquisador de pós-doutorado júnior do CNPq/PUC-PR

Publicado
2020-09-10
Seção
Artigos/Articles