Martin Buber e a fenomenologia

o encontro no discurso filosófico e psicológico

Autores

  • José Maurício de Carvalho Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves (UNIPTAN)
  • Mauro Sérgio de Carvalho Tomaz UFSJ

DOI:

https://doi.org/10.1590/0101-3173.2020.v43n4.12.p203

Palavras-chave:

Fenomenologia, intencionalidade, filosofia, psicologia, Saúde

Resumo

O fundamental da contribuição de Buber à fenomenologia existencial é atribuir às palavras princípio Eu-Tu e Eu-Isso, pela intencionalidade da consciência, papel decisivo no diálogo e no encontro. Isso ocorre pela presentificação e distanciamento dos debatedores. Essas palavras foram fundamentais para explicar as relações intersubjetivas e com o mundo, essenciais para esclarecer o discurso filosófico e científico. O que se apresentará nessa comunicação é o aprofundamento da distinção contida nas palavras-princípios e sua repercussão na relação terapeuta – paciente/cliente, nas clínicas psicológica e médica. Adicionalmente comentar-se-á o diálogo que Buber estabeleceu com Freud e Jung, com o primeiro inserindo o sentido da historicidade na construção da vida para recusar a noção de cultura como projeção do édipo e com o segundo recusando reduzir o diálogo com o sagrado a função psíquica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Maurício de Carvalho, Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves (UNIPTAN)

Professor titular aposentado da UFSJ, professor do Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves (UNIPTAN).

Mauro Sérgio de Carvalho Tomaz, UFSJ

Escola Estadual Professora Maria Rita Lisboa Pereira Santoro.

Downloads

Publicado

2020-11-20

Edição

Seção

Artigos/Articles